"Nobel alternativo" atribuído a médicos, ecologistas e humanitários de diversas nacionalidades


 

Lusa/AO online   Internacional   30 de Set de 2010, 18:39

O prémio sueco “Nobel alternativo”, que visa recompensar iniciativas visando melhorar a qualidade de vida, foi atribuído hoje em Estocolmo a médicos israelitas bem como a um ecologista nigeriano e brasileiro e a humanitários nepaleses.
O “Rigth Livelihodd Prize 2010 recompensa o poder da mudança proveniente da base” e este ano distinguiu “quatro laureados que partilharão entre si os 200 mil euros do prémio”, declarou o júri num comunicado.

A organização israelita “Médicos para os direitos humanos - Israel” recebeu o prémio “pelo seu espírito indomável de trabalho a favor do direito à saúde para todos em Israel e na Palestina”.

O nigeriano Nnimmo Bassey, de 52 anos, recebeu a recompensa por “ter revelado em toda a sua extensão os horrores ecológicos e humanos da produção de petróleo”.

O júri sublinhou também “o trabalho inspirado (de Bassey) para reforçar o movimento ecologista na Nigéria e no mundo”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.