NATO vai rever continuação de baterias anti-mísseis na Turquia


 

Lusa/AO online   Internacional   18 de Ago de 2015, 18:10

A NATO está a planear rever a colocação de baterias antimísseis na Turquia para aumentar as capacidades defensivas, após o anúncio dos EUA e Alemanha do fim da sua participação na missão naquele país.

 

De acordo com a agência de notícias espanhola Efe, que cita fontes não identificadas da organização, o mandato das baterias de mísseis Patriot, que estão na Turquia há três anos essencialmente para proteger o país de eventuais ataques da Síria, terminam no final deste ano, pelo que a revisão será obrigatória.

"A missão Patriot é renovada anualmente, o atual mandato termina no final do ano, e esperamos que os Aliados revejam a implantação nos próximos meses e tomaremos então as decisões", disse uma fonte da NATO à Efe.

Qualquer decisão sobre o futuro da missão, acrescentou a fonte, "será baseada numa avaliação completa e num pedido de extensão da Turquia".

A NATO "respeitará plenamente as decisões nacionais tomadas pelos governos da Alemanha e dos Estados Unidos", acrescentou esta fonte, lembrando que a colocação de baterias antimísseis Patriot na Turquia "deram uma contribuição importante para ajudar a proteger a população da Turquia contra mísseis balísticos da Síria".

A avaliação de risco atual aponta para uma fraca probabilidade de haver um ataque da Síria contra a Turquia, sendo até mais provável um ataque com mísseis por parte do regime sírio contra a oposição política.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.