NATO apoia luta contra Estado Islâmico e migrações ilegais


 

Lusa/AO online   Internacional   4 de Jul de 2016, 18:34

A NATO vai dar luz verde às contribuições logísticas para a luta contra o grupo extremista Estado Islâmico e o tráfico de migrantes a partir da Líbia, anunciou o secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg.

 

A primeira medida consiste em utilizar os ‘Awacs’, aviões de vigilância da NATO, nas regiões acima da Turquia e do Mediterrâneo, formando assim um arco em redor do Iraque, da Síria e da Líbia.

“Decidimos que os aviões Awacs da NATO vão fornecer informações à coligação para lutar contra o Estado Islâmico”, declarou Stoltenberg ao apresentar o programa da cimeira de Chefes de Estado e de Governo, que se realiza dia 8 de julho, em Varsóvia.

Washington pediu, inicialmente, que os Awacs da Aliança Atlântica fossem postos à disposição da coligação para formarem centros de comandos. Estes aparelhos têm radares potentes que permitem observar a atividade aérea numa extensão de centenas de quilómetros.

Os Awacs têm como única função partilhar informações com a coligação, pelo que as aeronaves aliadas irão funcionar apenas a partir do território da aliança, sem invadir o espaço aéreo iraquiano ou sírio.

A NATO coopera também com a União Europeia, no espaço do mar Egeu, na luta contra a imigração ilegal. Esta organização colocou vários navios ao largo da costa da Turquia e partilha informações, em tempo real, com a defesa grega e a defesa turca.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.