OE2013

"Não temos qualquer margem de manobra"

"Não temos qualquer margem de manobra"

 

Lusa/AO online   Economia   15 de Out de 2012, 17:44

A proposta de Orçamento do Estado para 2013 é "a única possível" e Portugal não tem "qualquer margem de manobra", disse esta segunda-feira o ministro das Finanças, Vítor Gaspar.

Numa conferência de imprensa para apresentação do Orçamento do Estado para 2013 (OE2013), Vítor Gaspar reconheceu ser "natural que surjam receios" perante a situação difícil do país.

No entanto, disse o ministro, "recuar agora e desperdiçar todo o esforço seria incompreensível".

"O nível da dívida pública, que vai aumentar acima dos 120 por cento [do Produto Interno Bruto] em 2013, não permite margem adicional", continuou Gaspar, notando que a renegociação das metas do défice para este ano e para o próximo só foi possível graças ao "capital de credibilidade acumulado" pelo Governo.

Dessa forma, argumenta Gaspar, não há alternativa a este orçamento.

"Esta proposta é a única possível. Não temos qualquer margem de manobra. Pôr em causa o orçamento é pôr em causa o programa de ajustamento", afirmou.

O Governo entregou hoje na Assembleia da República a proposta de lei do Orçamento do Estado para 2013.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.