Músico Renato Bettencourt leva sons da viola da terra dos Açores à Holanda

Músico Renato Bettencourt leva sons da viola da terra dos Açores à Holanda

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Set de 2014, 12:15

O músico Renato Bettencourt leva à Holanda, no final de setembro, os sons da viola da terra, instrumento tradicional dos Açores, num concerto que surgiu do convite de um holandês residente na ilha de S. Jorge.

 

“O primeiro concerto será no dia 27, se bem que já tenho a indicação que no dia 28 faremos também um concerto numa galeria de arte”, afirmou à agência Lusa Renato Bettencourt, que não esconde o seu contentamento com esta oportunidade de atuar no estrangeiro pela primeira vez.

Renato Bettencourt explicou que o convite para atuar na Holanda foi feito por Pieter Adriaans, que em conjunto com outros holandeses amantes dos Açores organizaram um fim de semana tipicamente açoriano naquele país e onde, além da música, haverá declamação de poemas de Vitorino Nemésio e gastronomia das ilhas.

“Essa oportunidade surge a partir de um convite do Pieter Andriaans, que é um holandês que vive nos Açores, comprou uma residência na ilha de S. Jorge. Ele recebeu um convite do diretor da Orquestra Sinfónica de VechtStreek”, referiu Renato Bettencourt, revelando que Pieter Andriaans vai estrear no concerto do dia 27 de setembro a “Suite açoriana”, um 'medley' de músicas do arquipélago.

Apesar de estar ligado aos instrumentos de corda desde a infância, Renato Bettencourt confessou só ter começado a tocar viola da terra há cerca de um ano.

“Nasci numa família que tocava vários instrumentos de corda. Comecei de pequeno a tocar violino, depois passei para o bandolim e violão. Por isso, foi mais fácil depois pegar na viola da terra” disse o músico açoriano, que atualmente toca com uma viola da terra feita por medida nas Flores, com o seu nome gravado no tampo e em forma de "b", em homenagem à família Bettencourt.

Segundo disse, no concerto da Holanda deverá atuar com uma nova viola da terra feita na ilha de S. Jorge, com um formato mais tradicional.

A viola da terra, que produz um som característico devido ao encordoamento de 12 cordas, também é conhecida como viola de arame ou viola de dois corações, sendo semelhante ao violão, mas de dimensões mais pequenas.

Uma das suas características é a abertura ou boca da viola ser constituída por dois corações, com as pontas em sentidos opostos e unidos numa lágrima, que simboliza a saudade e a ligação entre os açorianos que emigram e aqueles que ficam nas ilhas.

“Cada ilha tem a sua maneira própria de tocar. Comecei a desenvolver a técnica que usamos cá em S. Jorge. Ouvi os mais antigos a tocar. É um instrumento que é nosso. É único. É verdadeiramente açoriano”, frisou Renato Bettencourt.

A viola da terra, que durante anos caiu em desuso, voltou a estar na moda, com jovens interessados em aprender a tocar este instrumento tradicional quer nas escolas de música criadas para o efeito, quer nas aulas do Conservatório Regional de Ponta Delgada.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.