Músico açoriano Luís Alberto Bettencourt apresenta em fevereiro sétimo CD individual


 

Lusa/AO Online   Regional   14 de Jan de 2015, 07:25

O músico e compositor açoriano Luís Alberto Bettencourt dá a conhecer ao público, em fevereiro, o seu mais recente CD, intitulado Acústico, que conta com vários temas originais e novas versões de canções antigas.

“Esta ideia começou a germinar há um ano. Nós depois de entrarmos em estúdio completamos um prazo de nove meses para um parto que até não foi difícil”, afirmou à Lusa Luís Alberto Bettencourt, que já não lançava um CD desde 2010, ano em que editou “Perfume das ilhas”, uma coletânea com músicas próprias interpretadas por vozes femininas.

Natural de Ponta Delgada, Luís Alberto Bettencourt tem uma carreira musical de 40 anos, sete CD em nome individual, entre outras participações e coletâneas, mais de 70 obras registadas na Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), sendo autor de vários temas musicais feitos para séries da RTP/Açores, onde trabalhou.

No novo CD, totalmente gravado nos Açores, o músico mantém-se fiel ao que tem feito nos últimos anos, sendo que a principal novidade passa pela construção de “uma atmosfera sonora mais próxima do acústico”, dado que se sentia “saturado” dos sons mais próximos do eletrónico que marcaram anteriores trabalhos musicais.

“Eu tenho a certeza absoluta que não estou a fazer um trabalho para ganhar um disco de prata, nem de ouro, nem de platina, porque ando um pouco longe dos circuitos da moda. Embora tenha respeito por eles, mas não me identifico com aquilo que é produzido comercialmente com o objetivo de ser um êxito”, afirmou Luís Alberto Bettencourt, manifestando-se, contudo, convicto que o seu novo CD terá aceitação junto do público.

O lançamento oficial do CD está agendado para 04 de fevereiro, pelas 18:30 (19:30 em Lisboa), no bar “Arco 8” em Ponta Delgada, embora a 24 de janeiro esteja previsto um pré-lançamento no Teatro Faialense, na ilha do Faial.

Luís Alberto Bettencourt conjuntamente com António Melo e Sousa escreveu e compões a música “Chamateia” para uma série da RTP/Açores, que se transformou numa referência da música açoriana contemporânea e que já foi gravada por mais de 25 formações musicais.

Apesar de não constar deste novo CD, Luís Alberto Bettencourt reconheceu que quando não toca o “Chamateia” nos concertos as pessoas pedem, por ser uma música emblemática, assim como outros dois temas: “Bói do Mar” e “Vapor da Madrugada”.

Revela que no concerto de apresentação do “Acústico”, agendado para o Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, a 21 de fevereiro, será tocado o “Chamateia”, numa interpretação da jovem música Mariana Rocha, que ficou conhecida por participar num concurso musical na SIC.

Além de S. Miguel, Luís Alberto Bettencourt tem já confirmados concertos nas ilhas do Faial e Terceira, estando em conversações para realizar um concerto em Lisboa.

O músico lamentou que os artistas açorianos sejam “mal tratados” dentro do arquipélago, alegando que as organizações e promotores de festas na região “dão sempre preferência, salvo algumas exceções, a músicos de fora”.

“Acho que é a falta de sensibilidade das pessoas e há desconhecimento total ou quase total do que as pessoas fazem cá”, disse, revelando que nos Açores só ainda não tocou nas ilhas do Corvo e S. Jorge.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.