Museu Francisco Lacerda, deslocalizado para antiga fábrica

Museu Francisco Lacerda, deslocalizado para antiga fábrica

 

Lusa/AO Online   Regional   26 de Jan de 2016, 12:29

O Museu Francisco Lacerda, na Calheta, ilha de São Jorge, vai ser deslocalizado para uma antiga fábrica no mesmo concelho e o lançamento da empreitada deve acontecer este trimestre, disse hoje o diretor regional da Cultura dos Açores.

Nuno Lopes explicou que o novo espaço pretende contemplar toda a música dos Açores, muito embora se mantenha um olhar específico sobre o compositor que dá nome ao museu, o que não invalida que os restantes museus do arquipélago abordem também a vertente musical.

Francisco de Lacerda (1869-1934), considerado o maior compositor açoriano, foi musicólogo e maestro e possui uma vasta obra, tendo desenvolvido a sua carreira, predominantemente, como chefe de orquestra, em Portugal, onde foi um dos fundadores da Filarmónica de Lisboa, Suíça e França.

O diretor regional da Cultura afirmou que se quer aproveitar as novas instalações para valorizar o museu, uma vez que este permitirá outras condições para integrar o acervo na sua totalidade e aumentar o leque de oferta, ganhando um “novo fôlego” e tendo um papel “muito mais preponderante” na perpetuação de tradições, para além do património associado às filarmónicas.

Em 2012, o Governo Regional adjudicou o projeto de arquitetura e especialidades para a reabilitação e remodelação da antiga fábrica junto ao porto da Calheta, na ilha de São Jorge, para onde vai transferir o museu.

O novo edifício terá uma sala de acolhimento ao público, uma loja, um auditório, áreas de exposições temporárias e de longa duração, salas de serviços educativo e de formação e gabinete de investigação.

Fora do edifício existirá um espaço público que servirá para a realização de diversas atividades.

A secretaria regional da Educação e Cultura adquiriu, em 1984, o atual edifício do museu para nele ser instalada a Casa Etnográfica que, em 1991, é inaugurada com a designação de Museu de São Jorge.

Desde 2008, tem como patrono o musicólogo, compositor e maestro natural da ilha de São Jorge.

As coleções que integram o acervo do museu são, sobretudo, de caráter etnográfico e datam dos séculos XIX e XX, abrangendo a cerâmica, os têxteis/tecelagem, a agricultura, a pecuária e o mobiliário, sendo de destacar, igualmente, uma coleção relativa ao maestro Francisco de Lacerda.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.