Museu Carlos Machado reabre em outubro 2015

Museu Carlos Machado reabre em outubro 2015

 

Lusa/AO online   Regional   14 de Out de 2014, 17:39

O Governo regional prevê que o núcleo sede do Museu Carlos Machado, fechado há oito anos, possa reabrir "quase na totalidade" ao público em outubro de 2015, após obras de 620 mil euros.

 

“Hoje, por despacho, autorizei a Direção Regional da Cultura a abrir um procedimento público tendente à adjudicação da empreitada de reabilitação do núcleo de Santo André. É uma empreitada de 620 mil euros, que se executará em 180 dias”, afirmou aos jornalistas o secretário regional da Educação e Cultura, antes de uma visita ao Museu Carlos Machado, em Ponta Delgada.

Desde 2006 que o antigo convento de Santo André, sede do museu, está encerrado para obras de ampliação e requalificação, que entretanto foram por várias vezes canceladas.

“No exercício da política é preciso ter humildade, por isso, nós reconhecemos que nos últimos anos, concretamente nos últimos oito anos, não fomos felizes neste processo”, assumiu Avelino Meneses, reconhecendo que durante estes anos “houve vários procedimentos que foram lançados que tiveram, entretanto, de ser interrompidos por diversas razões”, sem especificar quais.

Admitindo agora que possa haver “alguma descrença”, o governante açoriano com a pasta da Cultura crê que será desta que o núcleo museológico de Santo André reabrirá, para que “tenhamos a felicidade que não tivemos no passado”.

O governante explicou que as obras hoje anunciadas correspondem a uma primeira fase, no valor de 620 mil euros, que deverá estar concluída em outubro de 2015, permitindo a abertura da “quase totalidade do edifício”, seguindo-se depois até 2017 a segunda fase, que compreende duas subfases, num valor superior a três milhões de euros, mas que “não implicarão o encerramento do edifício”.

Questionado sobre a abertura do Centro de Arte Contemporânea, localizado na cidade da Ribeira Grande, uma obra lançada pelo anterior Governo Regional socialista, liderado por Carlos César, Avelino Meneses revelou que a mesma deverá ocorrer num “prazo relativamente breve”, uma vez que o “edifício está pronto” e já “há algum acervo adquirido”.

“No começo da próxima semana decorrerá uma reunião que será determinante na calendarização da entrada em funcionamento e abertura ao público do núcleo da Ribeira Grande”, afirmou o governante, acrescentando que ainda não há ninguém escolhido para ficar à frente deste equipamento cultural, instalado numa antiga fábrica de álcool.

A obra terá custado cerca de 12 milhões de euros.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.