Municípios dos Açores mantêm exploração do Jogo Instantâneo com venda a aumentar

Municípios dos Açores mantêm exploração do Jogo Instantâneo com venda a aumentar

 

Lusa/AO Online   Regional   21 de Jan de 2016, 12:24

O Governo Regional dos Açores renovou a autorização à Associação de Municípios da Região Autónoma dos Açores (AMRAA) para a exploração do Jogo Instantâneo, conhecido por "Raspa", cuja receita, em 2015, atingiu 1,5 milhões de euros.

Um despacho da presidência do Governo Regional, hoje publicado em jornal oficial, sublinha "a importância de canalização das receitas do ‘Jogo Instantâneo’ para finalidades de interesse social", acrescentando que o jogo constitui "uma importante fonte de receita da AMRAA", que o explora há quase 30 anos.

Além disso, o Jogo Instantâneo tem constituído "uma forma de combate ao jogo clandestino, captando, consequentemente, receitas que serão aplicadas em fins de interesse coletivo", justifica o despacho.

Em 2015, este jogo gerou receitas brutas no valor de 1,5 milhões de euros, mas ainda está por apurar o resultado de exploração, porque "falta calcular as respetivas despesas inerentes à exploração", segundo avançou à agência Lusa o administrador-delegado da AMRAA.

Nuno Martins explicou, no entanto, que este valor não entra na totalidade dos cofres da AMRAA, já que "a determinação do resultado de exploração do Jogo Instantâneo é feita após um cálculo de todas as despesas adstritas", como "o pagamento dos prémios, custo com a estrutura de exploração do jogo, designadamente as despesas de pessoal adstrito à exploração do Jogo Instantâneo, custo com comissões dos agentes oficiais, a tributação ou, ainda, o custo com a emissão de bilhetes".

O valor obtido será, depois, repartido de acordo com deliberação em assembleia geral da AMRAA.

Ainda assim, o administrador delegado da AMRAA garantiu que no ano passado se registou "um crescimento de 21% nas vendas" em relação a 2014, frisando que em anos anteriores o resultado de exploração deste jogo "tem sido aplicado em projetos intermunicipais", como a “elaboração de cartografia de risco", e para comparticipar projetos comunitários.

Introduzido nos Açores em 1987, o Jogo Instantâneo tem sido sempre explorado pela Associação de Municípios da Região, onde existem "450 agentes oficiais nas nove ilhas" que poderão ser fixos em estabelecimentos comerciais, ou ambulantes.

São comercializadas duas tipologias de “raspas”, bilhetes de 50 cêntimos e de um euro, e o prémio máximo é de 10 mil euros, indicou Nuno Martins.

Nuno Martins disse que a AMRAA pondera "o lançamento de séries cujo valor unitário dos bilhetes poderá ser superior a um euro", já que o despacho publicado em Jornal Oficial introduz a possibilidade de "se fazer outra tipologia de bilhete com outro valor e ainda aumentar o valor dos prémios".

"Este ano, as receitas poderão ser aplicadas em atividades desportivas, culturais ou sociais visando a comemoração dos 40 anos do poder local democrático em Portugal", acrescentou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.