Municípios do PSD de São Miguel disponíveis para eventuais alternativas à incineradora

Municípios do PSD de São Miguel disponíveis para eventuais alternativas à incineradora

 

Lusa/Açoriano Oriental   Regional   8 de Fev de 2017, 17:56

Os municípios social-democratas de Ponta Delgada e da Ribeira Grande anunciaram que estão disponíveis para analisar, "até às últimas consequências", eventuais alternativas à construção de uma incineradora em São Miguel.

"Os municípios de Ponta Delgada e Ribeira Grande estão e sempre estiveram disponíveis para um cabal esclarecimento da população e analisar, até às últimas consequências, eventuais alternativas", refere um comunicado conjunto dos presidentes das câmaras municipais de Ponta Delgada e da Ribeira Grande, presididas respetivamente por José Manuel Bolieiro e Alexandre Gaudêncio.

Em dezembro de 2016, a Assembleia Intermunicipal da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel (AMISM) aprovou, por unanimidade, avançar com a construção de uma incineradora de resíduos, orçada em mais de 60 milhões de euros.

No mês seguinte, o movimento "Salvar a ilha contra a incineração em São Miguel" defendeu a suspensão do concurso público para a construção da central de resíduos.

Este processo tem originado divergências entre o presidente da AMISM e líder da Câmara de Vila Franca do Campo, o socialista Ricardo Rodrigues, e o autarca da Câmara da Ribeira Grande.

Na segunda-feira, Alexandre Gaudêncio pediu a demissão do responsável da associação de municípios, alegando existir "uma nebulosa" em todo o processo de construção da incineradora.

"Não consideramos admissível, por parte do presidente da AMISM, a criação de conflitos desnecessários, com recurso a qualificativos impróprios, e a tentativa de colocar em confronto os membros que a integram", adianta o comunicado enviado à agência Lusa, cujo teor é justificado face a "todas as declarações feitas sobre este assunto, quer no plano técnico, quer no plano político".

Destacando o debate na sociedade civil de São Miguel sobre o projeto do ecoparque, que inclui a construção da central de valorização energética, os autarcas consideram que, "independentemente da diversidade de opiniões" sobre esta matéria, "é de saudar o empenho de todos os cidadãos e organizações".

Os dois autarcas frisam que os municípios de Ponta Delgada e Ribeira Grande foram "inovadores na recolha seletiva de resíduos, que tem crescido todos os anos e em todos os concelhos da ilha de São Miguel", resultado também do trabalho destas autarquias "na aposta no tratamento mecânico e biológico de resíduos sólidos urbanos" na ilha.

"Os municípios de Ponta Delgada e Ribeira Grande orgulham-se de terem contribuído decisivamente para a proposta de introdução, no futuro e no âmbito do ecoparque, de um sistema de TMB (tratamento mecânico e biológico), de forma a diminuir ao máximo todos os resíduos que não têm outro tipo de valorização", salientam.

Os social-democratas defendem, ainda, que o debate realizado, "incluindo controvérsias úteis, tornou exigível que a AMISM iniciasse, e bem, um conjunto de iniciativas de esclarecimento e transparência junto da população".

Entretanto, a empresa MUSAMI - Operações Municipais do Ambiente realiza na sexta-feira à noite, na Lagoa, a segunda sessão de esclarecimento sobre o projeto da central de valorização energética.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.