Município de Vila Nova de Foz Côa disponível para apoiar famílias das vítimas


 

AO/Lusa   Nacional   8 de Jan de 2017, 12:40

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Foz Côa, Gustavo Duarte, assegurou hoje que vai dar todo o apoio necessário às pessoas do concelho envolvidas no acidente de autocarro ocorrido esta madrugada em França.

 

"Vamos articular com a Secretaria de Estado das Comunidades todo o apoio necessário que possamos prestar às pessoas envolvidas no acidente que acorreu em França", disse Gustavo Duarte à agência Lusa.

O autarca acrescentou que tem estado um permanente contacto com as diversas entidades nacionais e francesas, para prestar apoio às pessoas e famílias das vítimas.

"Ainda não tenho muitas informações sobre o acidente. Mas, vamos fazer os possíveis para prestar todo o apoio no regresso aos seus destinos, para minorar o sofrimento de todas essas pessoas", frisou.

O piso escorregadio e uma velocidade "pouco adaptada" podem estar na origem do acidente com um autocarro com portugueses que fez hoje quatro mortos, no centro de França, disse à Lusa o prefeito de Saône-et-Loire, Gilbert Payet.

"O mais provável é um piso escorregadio, uma perda de controlo devido a uma velocidade pouco adaptada a estas condições de circulação. Isto parece o mais provável, mas cabe ao inquérito identificar as causas", adiantou.

O responsável confirmou que o autocarro "vinha de Portugal e ia para a Suíça" e que transportava "portugueses que trabalham e residem na Suíça".

O acidente aconteceu na Estrada Centro Europa e Atlântico (RCEA), uma "estrada reputada como perigosa, porque há longos troços monótonos, linhas direitas, com muitos camiões", mas sublinhou que "na hora do acidente o tráfego era muito fraco e, como em todos os fins de semana, não há camiões".

Gilbert Payet disse ainda que, além de quatro mortos, há três feridos muito graves - incluindo um bebé de 2 anos - e 25 feridos mais ligeiros, tendo todos os acidentados sido transportados para os hospitais de Mâcon, Paray-le-Monial e Roanne, no distrito de Loire.

De acordo com o jornal Le Parisien, trata-se do acidente rodoviário mais grave em França desde março do ano passado, quando, na mesma estrada, 12 portugueses morreram na sequência de um choque frontal entre a carrinha em que seguiam e um veículo pesado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.