Saúde

Multiplicação de megacidades aumenta risco de epidemias

Multiplicação de megacidades aumenta risco de epidemias

 

Lusa/AO online   Internacional   12 de Out de 2010, 11:12

A multiplicação de megacidades, como Tóquio, Deli, Carachi ou Cidade do México, coloca um novo desafio à saúde, sobretudo no que se refere às epidemias, alertaram especialistas reunidos esta terça-feira no Congresso Mundial da Saúde, em Berlim.
As megalópoles, definidas com tendo uma população superior a dez milhões de habitantes, multiplicam-se em todo o mundo, devido ao êxodo rural.

O número de megalópoles era de 19 em 2007 e deverá ser de 27 até 2020, a maioria na Ásia, em África e na América do Sul, de acordo com Victor Rodwin, director do projecto sobre cidades mundiais da Universidade de Nova Iorque.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.