Mulher mais alta do mundo morre do tumor que lhe provocou a altura excessiva


 

Lusa/AO online   Internacional   5 de Dez de 2012, 11:49

A mulher mais alta do mundo, Yao Defen, de 2,33 metros, morreu em novembro aos quarenta anos de idade devido ao tumor na glândula pituitária que provocou a sua altura, informou a imprensa chinesa.

Nascida em 1972 e natural da província de Anhui (este), Yao cresceu demasiado durante a adolescência devido a um tumor que provocava a segregação de demasiadas hormonas de crescimento.

Aos 13 anos já media 1,85 metros de altura.

Numa complexa intervenção cirúrgica, em 2006, os médicos conseguiram retirar-lhe o nódulo, o que travou a doença. No entanto, o tumor reapareceu um ano depois e a família de Yao não pôde pagar outra operação do mesmo tipo devido ao seu elevado custo.

Yao, que pesava cerca de 200 quilos e calçava o número 57, sofria de hipertensão, várias doenças do coração, desnutrição e osteoporose devido ao seu gigantismo.

A mulher só foi considerada a mais alta do mundo em 2011, quando o recorde foi certificado pelo livro do Guinness.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.