Mudanças de 2015 nos Açores devem ser vistas como oportunidades

Mudanças de 2015 nos Açores devem ser vistas como oportunidades

 

Lusa/AO Online   Regional   7 de Jan de 2015, 05:50

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, disse hoje que as mudanças que 2015 trará à região em setores como o turismo e a agricultura devem ser encaradas como oportunidades e sem "receios".

Vasco Cordeiro falava em Ponta Delgada, no brinde da Receção de Ano Novo que hoje ofereceu a diversas autoridades e entidades no Palácio de Santana, em Ponta Delgada, sede do Governo Regional, tendo-se referido às "mudanças no horizonte" com que se apresenta 2015.

"Acredito que nas mais variadas mudanças que se verificarão, desde logo do ponto de vista económico, é essencial que as vejamos não como fonte de receio mas como oportunidades. E face a elas, a única coisa que temos a recear é exatamente os receios que possamos ter de dedicar o melhor do nosso esforço, o melhor da nossa atenção, o melhor do nosso trabalho, do nosso profissionalismo, para aproveitar essas oportunidades e transformá-las também em fonte de bem-estar para a nossa região e para o povo dos Açores", afirmou.

Mencionando especificamente o turismo e a agricultura, sublinhou que "depende principalmente" dos atores políticos, económicos e sociais a "capacidade de as transformar [as mudanças] em fonte de desenvolvimento".

"É dessa forma que eu gostaria que encarássemos este ano de 2015. Cada um na sua área, cada um na sua profissão, cada um na sua área de influência. Mas com a consciência de que a construção do sucesso depende do trabalho, do profissionalismo e da competência de cada um de nós", sublinhou.

No próximo mês de abril entra em vigor um novo modelo de transporte aéreo nos Açores, que prevê, entre outras coisas, a liberalização das rotas que ligam algumas ilhas ao continente e a entrada das chamadas 'low cost' no arquipélago, prevendo-se um aumento do turismo na região.

Por outro lado, também em abril acabarão as quotas leiteiras na Europa, setor que tem um peso determinante na economia dos Açores, que produz 30% do leite nacional.

No início da sua intervenção, Vasco Cordeiro referiu-se a 2014 como um ano que pôs "à prova" vários setores da sociedade açoriana, num "momento de desafio e difícil que também o país atravessa".

Para além de Vasco Cordeiro, e como é habitual, também o cônsul dos Estados Unidos da América nos Açores fez o Brinde de Ano Novo no Palácio de Santana.

Na sua intervenção, Daniel Bazan, que no próximo verão deixará os Açores, por entrar na reforma, referiu-se à questão das Lajes, explicando que sempre evitou falar do assunto publicamente por ser uma questão "difícil", que é tratada "nos níveis mais altos do governo americano".

Dizendo que "ninguém tem uma bola de cristal para prever o futuro", fez votos para que, aconteça o que acontecer, a relação entre os EUA e Portugal e o Governo dos Açores "continue como um rio, um fluxo de rio que continua".


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.