Justiça

MP pede pena máxima para homicida do Pinhal da Paz

MP pede pena máxima para homicida do Pinhal da Paz

 

Luís Pedro Silva   Regional   3 de Fev de 2010, 14:22

O Ministério Público pediu a pena máxima - 25 anos - para A. Cabral, marido da mulher de 30 anos morta com dois tiros de caçadeira no Pinhal da Paz, em Outubro de 2008.
A Procuradora da República, Laura Tavares, pediu ainda uma pena de 22 anos para o arguido M. Raposo, 20 anos para os arguidos M. Melo e P. Cabral, enquanto para V. Gonzaga uma pena de 10 anos.

Relativamente a R. Ledo, sogra da vítima, o Ministério Público tem dúvidas do envolvimento da mesma no planeamento e financiamento do homicídio da mulher de 30 anos.

Laura Tavares considerou que a história apresentada em tribunal pelos arguidos A. Cabral, M. Melo e M. Raposo, não tem lógica e é absurda, referindo que a vítima sabia que a iam matar, quando foi colocada à força na viatura.

A responsável do Ministério Público considera que os arguidos demonstram um “miséria de valores”, e negoceiam a morte como se compra um carro.

A leitura do acórdão será efectuada no tribunal de Ponta Delgada a 2 de Março, às 14h00.


Leia esta notícia na íntegra no jornal Açoriano Oriental de Quinta-Feira, Dia 4 de Fevereiro de 2010


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.