Movimento contra taxas nas Furnas quer reunir-se com presidente do Governo açoriano

Movimento contra taxas nas Furnas quer reunir-se com presidente do Governo açoriano

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Mar de 2015, 17:49

O Movimento Lagoa das Furnas vai pedir uma audiência ao presidente do Governo Regional dos Açores e promover uma "concentração pacífica" no domingo, para reafirmar a sua oposição às taxas que começaram a ser aplicadas este mês naquele espaço.

 

“Estamos a tentar calendarizar uma audiência com o presidente do Governo Regional”, declarou a porta-voz do movimento, Elisabeth Medeiros, à agência Lusa.

A Câmara Municipal da Povoação anunciou a 13 de fevereiro a entrada em vigor, no passado domingo, de um pacote de taxas que prevê o pagamento da entrada na zona das caldeiras da lagoa das Furnas, assim como da utilização das covas no solo para fazer cozidos e o estacionamento.

O Movimento Lagoa das Furnas concorda com a taxa aplicada para a confeção dos cozidos, porque considera que é uma mais-valia para ajudar na manutenção da zona envolvente da lagoa das Furnas. No entanto, discorda da aplicação das restantes taxas, considerando que afastam visitantes.

A porta-voz do movimento declarou que a iniciativa do próximo domingo é uma “concentração pacífica” que visa promover uma troca de ideias e fornecer informação aos interessados sobre a posição assumida por este grupo.

Elisabeth Medeiros adiantou que se pretende ainda averiguar como está a decorrer a aplicação das taxas, uma vez que, de acordo com a informação a que tiveram acesso, houve “algum desequilíbrio no funcionamento do espaço" no passado fim-de-semana.

“Não é com protestos e atitudes menos corretas que vamos conseguir algo. Vamos conversar, encontrar outras pessoas da ilha de São Miguel e trocar opiniões”, frisou.

O movimento está ainda, segundo Elisabeth Medeiros, a promover uma abaixo-assinado que irá circular na ilha de São Miguel e junto das comunidades de emigrantes nos EUA e Canadá, que pretende também entregar ao presidente do Governo Regional.

Para usufruir do espaço das caldeiras da lagoa das Furnas, os residentes e turistas têm de pagar cinquenta cêntimos à entrada, enquanto a confeção dos cozidos custa três euros para particulares e 2,50 euros para a restauração local.

Estão, no entanto, contempladas isenções no pagamento da entrada para as crianças até 12 anos, os residentes nas Furnas e os possuidores do Cartão Amigo do Parque, da Direção Regional do Ambiente.

Estão ainda isentos de entrada o portador do cozido, guias turísticos, empresários da restauração, táxis e os condutores de autocarros.

O estacionamento é pago entre as 8:00 e as 20:00, ficando isentos os autocarros, os táxis e os veículos da restauração.

Para além do Movimento Lagoa das Furnas, a Associação Empresarial das Furnas pediu à Câmara Municipal da Povoação a imediata suspensão das tarifas, considerando que afastam visitantes da freguesia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.