Movimento cívico de apoio a Mota Amaral reúne mais de 2.000 assinaturas

Movimento cívico de apoio a Mota Amaral reúne mais de 2.000 assinaturas

 

Lusa/AO Online   Regional   15 de Mai de 2015, 16:22

O movimento cívico de apoio à candidatura do ex-líder do PSD/Açores Mota Amaral à Assembleia da República reuniu mais de 2.000 assinaturas e tem esperança de que o Conselho Regional do partido não aprove hoje a lista apresentada pela Comissão Política.

"O que esperamos é que o PSD seja sensível a esta grande manifestação de apoio ao dr. Mota Amaral", salientou, em declarações à Lusa, o porta-voz do Movimento Cívico "Apoio Mota Amaral", Pedro Nascimento Cabral.

O Conselho Regional do PSD/Açores reúne-se hoje à noite na Praia da Vitória para ratificar a lista do PSD pelo círculo regional dos Açores às eleições legislativas, aprovada pela Comissão Política do partido.

Mota Amaral, atual deputado à Assembleia da República, manifestou a sua disponibilidade para integrar a lista do PSD/Açores às eleições legislativas, em 2015, mas a Comissão Política do partido, reunida no dia 01 de maio, decidiu excluir os atuais deputados da lista, substituindo Mota Amaral por Berta Cabral, ex-presidente do PSD/Açores e atual secretária de Estado Adjunta e da Defesa Nacional.

Pedro Nascimento Cabral entregou hoje de manhã na sede do PSD, em Ponta Delgada, um documento com 2078 assinaturas recolhidas em papel e na internet, apelando à recandidatura de Mota Amaral à Assembleia da República, bem como a informação do número de apoiantes do ex-líder do PSD/Açores em duas páginas da rede social Facebook (5530).

Para o porta-voz do movimento cívico, "o PSD, como partido democrático que é, tem obrigação de ouvir a sociedade civil", mas se o Conselho Regional optar por ratificar a lista os subscritores vão "respeitar a decisão".

Pedro Nascimento Cabral disse manter a "esperança" de que o partido volte atrás e considerou que a inclusão de Mota Amaral na lista seria "uma vitória de ambos: do movimento e do próprio PSD".

Segundo o representante do movimento cívico, o número de assinaturas recolhidas é um "sinal" de que as bases do partido não foram ouvidas e de que falhou o diálogo com a sociedade civil.

Entre as personalidades que subscreveram o manifesto, Pedro Nascimento Cabral destacou o ex-presidente do PSD/Açores Manuel Arruda e três ex-presidentes da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, o social-democrata Reis Leite e os socialistas Dionísio de Sousa e Fernando Menezes.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.