Movimento antitouradas alerta para "atentado contra crianças" nas Sanjoaninas

Movimento antitouradas alerta para "atentado contra crianças" nas Sanjoaninas

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Jun de 2015, 14:47

O Movimento Cívico Abolicionista da Tauromaquia nos Açores (MCATA) condenou hoje a organização, na Terceira, de "uma nova corrida de touros para crianças", um "atentado" que, sublinhou, "contraria as legislações nacionais e internacionais".

“Nesta corrida as crianças são obrigadas a assistir à reiterada tortura de animais mediante a utilização de bandarilhas, chegando mesmo a haver intervenção de alguns menores de idade na arena. Depois todas as crianças são levadas à arena e são incentivadas a utilizar bandarilhas e a simular a sorte de varas, prática proibida no nosso país, sobre bonecos que personificam os touros, naquilo que a organização chama ‘atividades taurinas infantis’”, adianta o MCATA, em comunicado.

Segundo o movimento, a corrida em causa é organizada pela Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, no âmbito das festas Sanjoaninas, e, "tal como em anos anteriores, a autarquia, através da sua Comissão de Festas e da Tertúlia Tauromáquica Terceirense, convidou diversas instituições de ensino escolar e pré-escolar” para o evento, na quinta-feira, na Praia de Touros da Ilha Terceira, com entrada gratuita.

Por esta altura do ano milhares de pessoas assistem, na Terceira, às festas Sanjoaninas, que decorrem até 28 de junho e que este ano homenageiam os emigrantes açorianos. Do cartaz oficial faz parte, na quinta-feira, a tradicional “Corrida das Crianças e dos Idosos”.

Além desta corrida, o MCATA condena o facto de ocorrer hoje uma “espera de gado para crianças”, expondo os mais novos ao contacto direto com os animais (que são largados na rua, numa área delimitada).

"Na nossa região o respeito pelas crianças e pela legislação vigente parece ser pouco mais do que uma miragem", afirma o movimento, lamentando que numa "época de grave crise económica para a Terceira, com a região a contribuir com um Plano de Revitalização Económica para a ilha, a Câmara de Angra do Heroísmo [se tenha permitido] esbanjar 100 mil euros para financiar diretamente atividades tauromáquicas como a corrida para crianças ou a importação de touros de Espanha".

O MCATA sublinha que a realização da corrida de touros para crianças tem "total cumplicidade do Governo Regional".

A "legislação portuguesa proíbe a assistência a espetáculos tauromáquicos a menores de 12 anos. E a nível internacional, a Convenção dos Direitos das Crianças da Organização das Nações Unidas exortou Portugal a tomar as medidas necessárias para afastar os menores das touradas, considerando o impacto que tem sobre as crianças a violência física e mental associada à tauromaquia", lembra.

O organismo sublinha que todos pagam estas iniciativas, com os seus impostos, e questiona se “os Açores vão continuar a denegrir a sua imagem em pleno século XXI?”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.