Mota Soares destaca redução do desemprego desde 2013


 

LUSA/AO online   Economia   29 de Jun de 2015, 18:53

O ministro do Emprego congratulou-se hoje com a redução da taxa de desemprego em Portugal desde 2013, fazendo, no entanto, uma avaliação negativa aos números apresentados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) face ao mês anterior deste ano

"Os números do desemprego face ao ano passado são bons, quando nós comparamos a descida do desemprego face ao ano passado, é positivo”, disse Pedro Mota Soares.

“Convém que nós lembremos que estamos a falar desde o início de 2013 até hoje numa redução de cerca de 230 mil pessoas que saíram de uma situação de desemprego, quando olhámos para o mês passado (abril) o dado não é positivo”, sublinhou.

Pedro Mota Soares falava aos jornalistas na aldeia de Carreiras, no concelho de Portalegre, à margem da inauguração de um lar de idosos que contou com um investimento superior a 1,9 milhões de euros, criando cerca de 30 postos de trabalho.

A taxa de desemprego recuou para 13,2% em maio, em termos homólogos, mas subiu 0,4 pontos percentuais face à estimativa definitiva para abril, fixando-se em 12,8%, segundo a estimativa mensal hoje divulgada pelo INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a estimativa provisória da população desempregada para maio é de 676,8 mil pessoas, um aumento de 2,9% face ao valor definitivo obtido para abril (mais 19,1 mil pessoas).

"Em maio de 2015, a estimativa provisória da taxa de desemprego foi de 13,2%, o que se traduz num aumento de 0,4 pontos percentuais em relação ao mês anterior, para o qual contribuiu o acréscimo da população desempregada e o decréscimo da população empregada", lê-se no documento do INE.

Em maio, a população desempregada aumentou em todos os grupos analisados: homens (5,3%; 17,2 mil), adultos (2,1%; 11,4 mil), jovens (6,6%; 7,7 mil) e mulheres (0,6%; 1,9 mil).

Neste mês, a taxa de desemprego das mulheres (13,3%) ultrapassou a dos homens (13,2%) em 0,1 pontos percentuais, mas ambas aumentaram face a abril (0,1 pontos percentuais e 0,7 pontos percentuais, respetivamente).

A taxa de desemprego dos jovens situou-se em 33,3%, tendo aumentado 1,6 pontos percentuais face ao mês anterior, assim como a taxa de desemprego dos adultos se situou em 11,6% e aumentou 0,2 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

Em maio de 2015, a estimativa provisória da taxa de desemprego não ajustada de sazonalidade foi de 13%, tendo aumentado 0,2 pontos percentuais face ao mês anterior e diminuído 1,1 pontos percentuais relativamente a maio de 2014.

Perante estes números, Pedro Mota Soares garantiu que a “postura” do Governo vai ser “sempre a mesma”, ou seja, “continuar a trabalhar” com “afinco” para que o desemprego venha a diminuir de uma forma “continuada”.

“O que temos de fazer é garantir que esta recuperação económica que estamos a ter neste momento é capaz de recuperar também emprego e isso está-se hoje a verificar”, disse.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.