Mossul tem ainda cerca de 220 mil crianças em perigo iminente

Mossul tem ainda cerca de 220 mil crianças em perigo iminente

 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   11 de Abr de 2017, 18:32

Centenas de milhar de crianças estão em perigo em Mossul, desde a ofensiva militar das forças iraquianas para recuperar a totalidade da cidade, controlada pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI), denunciou a UNICEF.

Segundo aquela agência das Nações Unidas, nas últimas seis semanas, desde a ofensiva militar, cerca de 151.000 crianças foram deslocadas e mais de 220 mil estão em perigo extremo.

Os números são superiores aos registados na reconquista da metade oriental da cidade, concluída em janeiro.

Bastien Vigneau, conselheiro e coordenador principal de emergências da UNICEF para Mossul, disse à imprensa que a sua grande preocupação é que “conforme o conflito se intensifica na parte ocidental, as crianças são apanhadas no fogo cruzado e ou são feridas ou morrem”.

Outra circunstância que preocupa a agência da ONU é o "número crescente de crianças desacompanhadas nas últimas semanas", segundo Vigneau, que afirma que as crianças estão a sofrer ferimentos de guerra e danos psíquicos pelas condições extremas que vivem e ainda são usadas como “escudos humanos”.

O enviado da UNICEF também disse que o EI está a ocupar escolas e edifícios públicos, e que as infraestruturas de saúde e o fornecimento de água potável podem estar comprometidos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.