Brexit

Morreu deputada britânica baleada hoje


 

Lusa/AO Online   Internacional   17 de Jun de 2016, 08:19

A polícia britânica anunciou a morte da deputada britânica Jo Cox, hoje atingida a tiro durante uma ação de campanha a favor da permanência do Reino Unido na União Europeia (UE).

A deputada trabalhista Jo Cox, de 41 anos, baleada e esfaqueada na aldeia de Birstall, no norte de Inglaterra, foi transportada em estado crítico para um hospital de Leeds, onde sucumbiu aos ferimentos.

Ao anunciar a sua morte, a polícia indicou também que deteve um homem de 52 anos.

“Não estamos, neste momento, em condições de falar sobre o motivo” do crime, disse a chefe da polícia de West Yorkshire, Dee Collins, à imprensa, acrescentando: “Não estamos à procura de mais ninguém relacionado com este incidente”.

Logo após o ataque, a campanha pela permanência do Reino Unido na EU, no referendo de 23 de junho, suspendeu as atividades previstas para hoje e a campanha pela saída do país da UE (‘Brexit’) fez o mesmo, segundo o jornal The Guardian.

O primeiro-ministro, David Cameron, cancelou um comício agendado para a sua histórica mas controversa visita a Gibraltar, no âmbito da campanha pela permanência do Reino Unido na UE.

“A morte de Jo Cox é uma tragédia. Ela era uma deputada empenhada e envolvida. Os meus sentimentos ao seu marido, Brendan, e aos seus dois filhos pequenos”, escreveu Cameron na rede social Twitter.

Uma testemunha, o proprietário do café local, Clarke Rothwell, disse que Cox levou três tiros.

“Ele disparou sobre a senhora uma vez e depois disparou outra vez, caiu no chão, debruçou-se e atirou mais uma vez sobre ela na zona da cara”, disse à estação televisiva BBC.

A estação de televisão Sky News citou relatos não confirmados de que o atirador tinha gritado “Britain first” (“A Grã-Bretanha primeiro”) – possivelmente uma referência a um grupo de extrema-direita com o mesmo nome.

O ataque pôs termo a um frenético dia de campanha, com duas novas sondagens indicando que há agora mais britânicos que querem sair da UE do que os que querem ficar.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.