Regresso às aulas

Mochilas não podem pesar mais de 10% do peso dos alunos


 

Lusa/AO online   Nacional   21 de Ago de 2014, 18:41

A mochila deve ser adequada à estatura das crianças e quando está vazia pesar menos de meio quilo, segundo a Direção-Geral do Consumidor, que explica que as crianças só devem carregar 10% do seu peso.

 

A poucas semanas do início das aulas e com as principais papelarias e hipermercados a lançarem as campanhas de venda de material escolar, a Direção-Geral do Consumidor (DGC) divulgou hoje uma brochura com conselhos práticos que os pais devem ter em conta na hora de ir às compras.

A mochila dos alunos é um dos temas que mais polémica tem causado, devido ao peso que os alunos continuam a carregar diariamente para a escola.

Segundo a DGC, o peso da mochila cheia não deve ultrapassar 10% do peso do aluno, ou seja, uma criança de 25 quilos não deveria carregar mais de 2,5 quilos em livros e material.

Uma das formas de conseguir reduzir o peso da mochila é verificando regularmente o seu conteúdo de forma a garantir que o estudante transporta apenas o material de que necessita.

Outra das sugestões para quem vai agora comprar material novo é optar por uma mochila que, vazia, pese menos de meio quilo e que seja adequada à estatura da criança.

“Prefira os modelos anatómicos, com alças largas e acolchoadas. Para se certificar de que está a comprar o modelo adequado, a criança deve experimentar a mochila”, sugere a DGC, explicando que as alças da mochila devem ser reguladas de forma a que fique colocada acima das ancas da criança.

A DGC aconselha ainda os encarregados de educação a comprar materiais de qualidade e que apresentem alguma durabilidade e alerta para o facto de as compras na internet poderem ser trocadas no prazo de 14 dias “sem qualquer encargo ou apresentação de justificação”.

A alimentação saudável e o vestuário são outros dos item abordados na brochura que também aponta os cuidados a ter com o uso da internet, tal com ter o computador numa divisão da casa onde a família passa a maior parte do tempo.

Instalar uma ferramenta que filtre e bloqueie o acesso a determinados conteúdos e usar o computador em conjunto com as crianças são outras das sugestões presentes na brochura informativa “Regresso às aulas em segurança”.

No final, a DGC oferece um horário escolar e ainda dá dicas para estudar.

A informação hoje divulgada está acessível no Portal do Consumidor - em www.consumidor.pt - e da sua página do facebook onde a Direção-Geral do Consumidor disponibiliza informação sobre os direitos dos consumidores, os consumos juvenis e outras matérias relacionadas com o tema.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.