Moção do líder do PS/Açores aprovada por unanimidade

Moção do líder do PS/Açores aprovada por unanimidade

 

LUSA/AOnline   Regional   19 de Mar de 2016, 20:16

A moção do líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, intitulada "Uma Autonomia forte ao serviço dos açorianos", foi hoje aprovada por unanimidade no congresso dos socialistas regionais que decorre na Lagoa.

Na moção, a única de orientação política global apresentada no XVI congresso regional, onde foram entregues 26 moções setoriais, Vasco Cordeiro, que é também presidente do Governo Regional dos Açores desde 2012, afirma que “as maiorias do PS têm sido o melhor” para a região, pelo que uma nova maioria absoluta, em outubro próximo, “será a garantia mais segura dos açorianos não desperdiçarem a oportunidade de serem eles próprios a escolher o Governo e a maioria que desejam”.

O PS governa o arquipélago desde outubro de 1996, quando o partido, liderado por Carlos César, ganhou as eleições regionais desse ano, elegendo o mesmo número de deputados na Assembleia Legislativa que o PSD, ao qual conquistou o poder.

Na moção, na qual aborda o trabalho do partido na região em áreas como o emprego, a ação social, a educação ou na vertente económica, o responsável destaca que “ninguém tem dúvidas de que o PS/Açores é uma referência para o resto do país” na “boa gestão das contas públicas”.

Atravessando depois os setores dos transportes, agricultura, pescas ou a administração pública, Vasco Cordeiro preconiza neste última, por exemplo, “a melhoria dos procedimentos de admissão de funcionários” ao tornar “a prova escrita de conhecimentos no único método de seleção, e a valorização da inovação enquanto critério fundamental na avaliação”.

Vasco Cordeiro reitera a extinção do cargo de Representante e aponta a experiência do PS nacional na realização de eleições primárias para a escolha do secretário-geral e candidato a primeiro-ministro, dizendo que o PS/Açores pretende atribuir o direito de voto para a escolha do candidato a presidente do Governo dos Açores aos simpatizantes do partido.

O líder do PS/Açores defende, ainda, a possibilidade de candidatura ao parlamento regional de listas de cidadãos independentes e, do mesmo modo, a possibilidade de implementação de listas abertas, considerando, por outro lado, que o arquipélago, que regista elevadas taxas de abstenção em atos eleitorais, pode vir a ser um exemplo na adoção do voto eletrónico.

Na sexta-feira, na sessão de abertura do congresso, Vasco Cordeiro afirmou que, da mesma forma que defende que as eleições legislativas ao parlamento regional “se devem processar de acordo com o sistema de listas abertas”, na sequência da aprovação da moção global de estratégia, as eleições para os órgãos regionais do partido neste congresso devem seguir este modelo.

Assim, no domingo, a anteceder o encerramento do congresso, com a presença do secretário-geral do PS, António Costa, as eleições para a comissão regional, comissão regional de jurisdição e comissão de fiscalização económica e financeira decorrem, pela primeira vez, de acordo com este sistema.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.