Mitt Romney faz duro ataque à campanha de Trump

Mitt Romney faz duro ataque à campanha de Trump

 

Lusa/AO online   Internacional   3 de Mar de 2016, 16:58

O ex-candidato presidencial republicano Mitt Romney fez ontem duras críticas à campanha do multibilionário Donald Trump, acusando o aspirante à nomeação presidencial republicana de "desonestidade", "misoginia" e "ganância".

 

Para Romney, o multibilionário não tem “nem o temperamento nem o julgamento para ser Presidente”.

A intervenção de Romney, realizada no Estado do Utah, parece ser o pontapé de saída de um movimento de resistência liderado por republicanos preocupados com a possível nomeação de Trump.

Uma candidatura de Donald Trump à Casa Branca do lado republicano “vai permitir” uma vitória da democrata Hillary Clinton, assegurou Romney, que foi o candidato republicano nas eleições presidenciais de 2012 contra o Presidente democrata Barack Obama, que seria reeleito.

Donald Trump é “um impostor, é uma fraude”, repetiu por diversas vezes.

“Deixe-me dizer de forma clara, se os republicanos escolherem Donald Trump como candidato, as hipóteses de um futuro próspero e seguro serão profundamente diminutas”, prosseguiu Mitt Romney.

“Compreendo a raiva que os americanos sentem hoje”, afirmou o republicano, salientando que anteriores presidentes norte-americanos "transformaram essa raiva em energia que foi usada para o bem”.

Mas, segundo Romney, esse não será o caso se a campanha de Trump sair vitoriosa.

Donald Trump "dirige a raiva [dos americanos] para objetivos longe de serem nobres. Faz dos muçulmanos e dos imigrantes mexicanos os bodes expiatórios, apela para o uso da tortura e defende a morte de crianças e de familiares inocentes de terroristas”, denunciou.

O ex-candidato republicano também atacou as escassas propostas económicas de Trump.

“O país vai mergulhar numa recessão prolongada. (…) Mesmo que Donald Trump tenha proposto poucas medidas económicas específicas, o pouco que disse foi suficiente para saber que será muito prejudicial para os trabalhadores e para as famílias norte-americanas”, referiu ainda.

Mitt Romney figura entre os barões do Partido Republicano que têm tentado reunir personalidades, peritos e legisladores conservadores com o objetivo de persuadir os eleitores que pretendem votar em Trump.

Mais de 70 especialistas republicanos de áreas como negócios estrangeiros ou segurança nacional publicaram uma carta aberta a denunciar a incoerência do candidato Trump, as suas declarações ambíguas sobre a tortura, as suas propostas islamofóbicas ou ainda a sua admiração pelo Presidente russo, Vladimir Putin.

O multibilionário ganhou até agora 10 das 15 votações realizadas nas primárias republicanas, que arrancaram a 01 de fevereiro. Trump é apontado como favorito para as próximas consultas, nomeadamente nas votações do dia 15 de março, em que estão em jogo os delegados de seis estados.

Mesmo antes do discurso de Mitt Romney, Trump respondeu às críticas, qualificando o ex-candidato como um “derrotado”.

“Porque é que Mitt Romney me pediu para o apoiar há quatro anos”, ironizou o empresário, na rede social Twitter.

Em fevereiro de 2012, numa declaração feita em Las Vegas (Estado do Nevada), Trump expressou o seu apoio ao então candidato Romney, que saudou e elogiou o empresário do ramo imobiliário.

“Donald Trump tem demonstrado uma extraordinária capacidade de compreender como a nossa economia funciona para criar empregos para o povo americano. Ele tem feito isso aqui no Nevada, ele fez isso em todo o país”, afirmou, na altura, Mitt Romney, segundo declarações hoje recuperadas pelo jornal britânico The Guardian.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.