Ministros das Finanças dos 27 reúnem-se no Chipre com Portugal, Grécia e Espanha na agenda

 Ministros das Finanças dos 27 reúnem-se no Chipre com Portugal, Grécia e Espanha na agenda

 

LUSA / Ao online   Economia   13 de Set de 2012, 09:28

Os ministros das Finanças da União Europeia reúnem-se na sexta-feira e no sábado, em Nicósia, Chipre, num encontro informal que terá na agenda a análise da situação de países como Portugal, a Grécia e Espanha.

O ECOFIN (conselho de ministros das Finanças) começa na sexta-feira, às 08:30 locais (06:30 em Lisboa), com uma reunião do Eurogrupo (responsáveis pelas Finanças da zona euro), durante a qual estará em debate a situação económica e financeira da zona euro, segundo fontes diplomáticas.

Em análise estarão também as situações de Portugal, Espanha, Grécia, Irlanda e Chipre, os países que recorreram a resgates financeiros desde o início da crise das dívidas soberanas (no caso espanhol, o pedido limita-se à recapitalização do sistema bancário).

Portugal estará representado pelo ministro das Finanças, Vitor Gaspar, que deverá apresentar as conclusões da quinta avaliação da ‘troika’ ao memorando de entendimento.

Na terça-feira, quando apresentou as conclusões aos portugueses, Vitor Gaspar anunciou o adiamento por um ano do prazo para cumprimento do défice, para 2,5 por cento em 2014.

Na ocasião, o ministro anunciou também um novo conjunto de medidas de austeridade, com destaque para a redução das reformas acima de 1.500 euros, a redução dos escalões do IRS, implicando um acréscimo do pagamento médio dos cidadãos, e ainda o aumento de tributação dos imóveis considerados de luxo (acima de um milhão de euros).

Um dia depois, no Parlamento, Vítor Gaspar anunciou que o Governo irá ainda tomar "algumas medidas temporárias" para alcançar a meta revista do défice de 5,0 por cento para este ano.

Relativamente a Espanha, decorrem as auditorias independentes às entidades financeiras espanholas que determinarão o montante exato de apoio que a banca espanhola necessitará, sendo 100 mil milhões de euros o valor máximo apontado.

No que respeita à Grécia, a ‘troika’ (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) está em Atenas, num momento em que uma nova vaga de greves contra as medidas de austeridade regressou ao país e o Governo de coligação tenta concluir os novos cortes orçamentais até 2014.

Estará também em análise a situação do Chipre, que a 25 de junho declarou a intenção de pedir ajuda financeira aos fundos de resgate da zona euro, devido à debilidade do seu sistema bancário, muito exposto à Grécia dadas as ligações históricas e culturais.

No sábado, os trabalhos recomeçam às 09:30 locais para uma sessão cujos temas dominantes serão a união bancária e o mecanismo único de supervisão bancária.

Esta semana, a Comissão Europeia apresentou a proposta de criação de um mecanismo único de supervisão bancária, que deverá entrar em vigor a 01 de janeiro de 2013 e no âmbito do qual serão atribuídas novas competências ao Banco Central Europeu para a supervisão bancária.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.