Ministro defende "maior convergência" entre os três ramos das Forças Armadas

Ministro defende "maior convergência" entre os três ramos das Forças Armadas

 

Lusa   Nacional   24 de Out de 2010, 21:33

O ministro da Defesa Nacional defendeu hoje, em Castelo Branco, maior convergência entre os três ramos das Forças Armadas, para potenciar meios e recursos

Augusto Santos Silva, que discursava no âmbito do Dia do Exército, que se assinalou este ano na cidade albicastrense, sublinhou a necessidade de “serem implementadas maiores convergências e sinergias entre o Exército e os restantes ramos das Forças Armadas”, privilegiando-se “a organização de ações conjuntas na componente operacional”.

“É preciso pensarmos as Forças Armadas como um único sistema de forças que promova uma verdadeira integração de meios e recursos”, destacou o titular da pasta da Defesa, numa intervenção em que, para além da integração, utilizou mais três palavras-chave: qualificação, operacionalidade e proximidade.

A qualificação, referiu, “representa o esforço em direção à excelência, quer ao nível das infraestruturas, como dos serviços e da própria operacionalidade, onde se incluem os equipamentos e os efetivos através de mais e melhor ensino, formação e treino”.

Sobre a operacionalidade, o ministro deu conta da necessidade de o Exército estar “sempre pronto, treinado e disponível” para fazer face às diferentes missões, quer ao nível da segurança coletiva no território nacional, quer ao nível da sua intervenção cooperativa com as alianças que Portugal estabelece no estrangeiro, em estreita cooperação com os seus aliados.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.