Ministro da Economia diz que 2017 é "ainda melhor" do que 2016 para o turismo

Ministro da Economia diz que 2017 é "ainda melhor" do que 2016 para o turismo

 

Lusa/AO online   Economia   13 de Out de 2017, 15:10

O ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, considerou que este ano está a ser "ainda melhor" para o turismo nacional do que 2016, com o setor a crescer "em qualidade" e de "forma equilibrada".


Em 2016, disse o ministro, em declarações aos jornalistas, em Évora, "Portugal teve um ano muito bom em termos turísticos", mas, "em 2017, está a ter um ano ainda melhor".

"Os dados deste ano" mostram "o turismo a crescer muito bem em agosto, mas demonstram também, nos meses que temos até agora, que o turismo continua a registar a mesma tendência que registou no ano passado", que é a de "ter um crescimento ainda mais forte nas chamadas épocas baixas", assinalou.

E isso, continuou Caldeira Cabral, "é muito importante para assegurar a estabilidade e a qualidade do emprego no turismo, para que a oferta e a procura não oscilem tanto ao longo do ano".

O ministro falava aos jornalistas, à margem da inauguração da fábrica de Évora da empresa Mecachrome Aeronáutica, a propósito dos dados sobre a atividade turística de agosto, produzidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e hoje divulgados.

Segundo o INE, a hotelaria registou mais 2,4 milhões de hóspedes e 7,8 milhões de dormidas em agosto, correspondendo a crescimentos homólogos de 4,6% e 3,2%, contra subidas de 6,0% e 4,7% em julho.

O mercado interno cresceu ligeiramente nas dormidas (0,5% face aos 3,7% em julho), enquanto os mercados externos registaram um aumento de 4,6% (5,2% no mês anterior).

"Há um crescimento muito bom em termos de hóspedes, de dormidas, em termos do crescimento ser também espalhado por todo o país", com os Açores, o Alentejo e o Centro a serem "as regiões que mais crescem", congratulou-se o ministro da Economia.

O turismo "está a crescer hoje de uma forma muito mais equilibrada. Os destinos turísticos dentro do país que estão a crescer mais não são os que estavam mais congestionados" e sim outras regiões nacionais, frisou.

Mas "o mais interessante", destacou Caldeira Cabral, é o aumento dos proveitos da atividade turística, na ordem dos 16%, em agosto, "que é um mês que, já no ano passado, esteve praticamente esgotado".

"No entanto, continua a crescer e só consegue crescer porque houve novos investimentos", disse.

Segundo o governante, o setor turístico nacional, "nos últimos dois anos, cresceu 18% em termos de hóspedes" e "45% em termos de receitas, o que significa que está, de facto, a crescer, mas está a crescer de forma muito forte em qualidade".

A fábrica de Évora da Mecachrome Aeronáutica, do grupo francês Mecachrome, está a laborar desde "o final de março" e produz peças maquinadas, em titânio, para a indústria aeronáutica, nesta primeira fase para motores de aviões e, dentro de alguns meses, para a estrutura de aeronaves.

O projeto envolve, até 2020, um investimento de 30 milhões de euros e a criação de entre 250 a 300 postos de trabalho, empregando já 70 pessoas.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.