Ministro da Ciência e Ensino Superior quer estimular e valorizar Institutos Politécnicos

Ministro da Ciência e Ensino Superior quer estimular e valorizar Institutos Politécnicos

 

Lusa/AO Online   Nacional   20 de Jun de 2016, 15:52

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, afirmou hoje, em Setúbal, que o Governo pretende "estimular e valorizar o ensino politécnico", para tirar partido da "investigação mais prática" que caracteriza estes estabelecimentos de ensino superior.

 

"Vou daqui totalmente convencido de que o ensino politécnico não só é uma realidade, como deve ser reforçado e estimulado", disse Manuel Heitor, durante uma visita ao Instituto Politécnico de Setúbal (IPS), em que visitou diversos centros de investigação, designadamente os Laboratórios de Logística, Simulação Empresarial, Voz e Movimento Humano.

"Vou daqui consciente de que o programa que estamos a estimular, de apoio à modernização e valorização do ensino politécnico, é, de facto, um desafio importante para estimularmos a atividade da investigação, baseada na prática, como os casos de Fiscalidade e Contabilidade, Tecnologias de Saúde, Fisioterapia e Terapia da Fala, onde a experiência do Politécnico de Setúbal é muito importante", acrescentou o ministro.

Para Manuel Heitor, a experiência dos politécnicos é importante, "não apenas para capacitar a força de trabalho, mas também para valorizar a investigação científica nestas áreas, que é, certamente, muito diferente da investigação científica que se faz, por exemplo, em algumas universidades ou centros de investigação fundamental".

"Aqui não há melhor nem pior; é diferente", frisou o ministro, adiantando que o objetivo deste ciclo de visitas a instituições do Ensino Superior e de Ciência e Tecnologia, pretende, também, "identificar desafios, identificar projetos e parceiros industriais concretos", mas também discutir "oportunidades, desafios para o futuro".

Questionado sobre o contributo do governo para que os institutos politécnicos possam alcançar estes objetivos, o ministro recordou algumas medidas já aprovadas nesse sentido, a par de um novo programa de estímulo à investigação.

"Vai abrir nas próximas semanas um programa de estímulo à investigação nos institutos politécnicos, sobretudo para estimular o tipo de investigação que observamos aqui, muito baseada na prática. E esperamos que daqui saiam muitos projetos", disse, salientando a importância de programas mobilizadores entre as instituições do ensino superior e investigação e as empresas.

"Espero, concretamente, que o IPS consiga mobilizar parceiros. Estamos a discutir com todas as instituições, e com a comunidade científica, aquilo que é a diversificação, avaliação e financiamento, a partir de 2017, dos centros de investigação", acrescentou.

Manuel Heitor referiu ainda que as visitas a institutos politécnicos serão usadas "no desenho dos estímulos para promover a diversificação e financiamento às unidades de investigação e desenvolvimento".

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.