Assembleia da República

Ministra da Saúde assegura que "não há cortes cegos" no sector

Ministra da Saúde assegura que "não há cortes cegos" no sector

 

Lusa / AO online   Nacional   18 de Jun de 2010, 17:40

Os partidos da oposição criticaram esta sexta-feira os cortes no sector da saúde e consideraram que o ministério de Ana Jorge só conseguiu reduzir as listas de espera nas cirurgias à custa das consultas da especialidade, acusações que a ministra refutou.
Num debate de urgência no parlamento marcado pelo PCP, a ministra da Saúde, Ana Jorge, respondeu que “não há cortes cegos” e que é necessário “saber reorganizar os serviços” para diminuir em cinco por cento as horas extraordinárias, que são feitas quase na totalidade nos serviços de urgências.

“Basta reorganizar as equipas de urgência”, sublinhou.

O deputado do PSD Adão da Silva considerou que há “um desnorte” nos cuidados de saúde e questionou a ministra da Saúde sobre o atraso no funcionamento dos serviços partilhados do MS, que “pouparia 200 milhões por ano”, e na rede oncológica nacional.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.