Ministério da Defesa investe 700 mil euros para três instituições partilharem o mesmo imóvel

Ministério da Defesa investe 700 mil euros para três instituições partilharem o mesmo imóvel

 

Lusa/AO Online   Regional   17 de Out de 2014, 15:27

Um edifício histórico de Ponta Delgada vai albergar, em 2015, as valências da Cruz Vermelha Portuguesa, Liga dos Combatentes e Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA), num investimento de 700 mil euros do Ministério da Defesa Nacional.

Para tal foi hoje assinado um protocolo entre o IASFA, Cruz Vermelha Portuguesa e Liga dos Combatentes, uma obra que vai arrancar “o mais rápido possível”, segundo avançou a secretária de Estado adjunta e da Defesa Nacional, Berta Cabral, estimando que a nova estrutura possa ser “inaugurada no início do segundo semestre de 2015”.

Berta Cabral, que presidiu à assinatura do protocolo, ocasião em que também foi apresentado o projeto para o imóvel, que já foi Centro de Recrutamento Militar, sublinhou que a “solução encontrada” permite juntar “três instituições emblemáticas da ação social e humanitária na família militar” e recuperar ”um bonito edifício” na Rua do Frias, em Ponta Delgada, Açores.

A secretária de Estado referiu que se trata de "um vultuoso investimento integralmente financiado pelo Ministério da Defesa Nacional no valor de 700 mil euros" e acrescentou que “cerca de dois meses após a visita” que efetuou ao imóvel, “é apresentado o projeto para ser lançado o procedimento concursal”.

Berta Cabral referiu que a partilha do edifício, “sem retirar autonomia a qualquer das três instituições”, potencia “a complementaridade” em cuidados de saúde e junto de faixas da população “bastante desprotegidas”.

O Centro de Apoio Social de Ponta Delgada do IASFA "estava muito limitado em termos de condições" para prestar apoio a 3.500 utentes, enquanto a Liga dos Combatentes tem funcionado “num espaço bastante exíguo”, referiu Berta Cabral.

Quanto à delegação da Cruz Vermelha Portuguesa, a sua sede no centro de Ponta Delgada estava degradada, pelo que o posto de saúde foi encerrado, no ano passado, mas com as novas instalações, com a nova condição de Centro Humanitário, a Cruz Vermelha Portuguesa terá maior capacidade para atendimentos.

No imóvel vai funcionar ainda a sede local da Liga dos Combatentes, um Clube Sénior e uma Academia Sénior.

A secretária de Estado lembrou que o Ministério da Defesa Nacional “também investiu recentemente 6,4 milhões de euros no Centro de Comunicações da Ribeira Grande (São Miguel) e tem outros investimentos programados para o Faial e as Flores, também no setor das comunicações.

Berta Cabral considerou ainda que o protocolo "é uma referência e um estímulo" para adotar estas soluções noutras zonas do país.

"Este protocolo revela uma tendência e um estímulo para soluções semelhantes noutras regiões do país. O melhor aproveitamento de instalações militares que deixaram de ser úteis às Forças Armadas é um imperativo nacional", disse.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.