Messi favorito ao quinto cetro e a destronar Ronaldo

Messi favorito ao quinto cetro e a destronar Ronaldo

 

Lusa/AO Online   Futebol   11 de Jan de 2016, 05:04

O futebolista argentino Lionel Messi pode destacar-se no historial da Bola de Ouro, caso conquiste esta segunda-feira o seu quinto cetro, sendo favorito frente ao português Cristiano Ronaldo, vencedor das últimas duas edições, e o brasileiro Neymar.

 

Depois de ter vencido consecutivamente o troféu entre 2009 e 2012, Messi deverá voltar a ser o melhor em 2015, ano em que já foi considerado o melhor jogador da UEFA e da Liga espanhola e numa época em que conquistou cinco títulos coletivos ao serviço do FC Barcelona, quatro ao lado de Neymar.

O ‘10’ dos catalães e da Argentina é o único jogador da história que ganhou por quatro vez a Bola de Ouro, mais uma do que o ‘capitão’ da seleção portuguesa e ‘7’ do Real Madrid, vencedor em 2008, 2013 e 2014, enquanto Neymar surge como ‘outsider’, como aconteceu, em anos anteriores, a Fernando Torres, Xavi, Andrés Iniesta, Franck Ribery e Manuel Neuer.

Desde 2008, penúltimo ano em que o prémio era apenas responsabilidade da revista francesa France Football, os dois crónicos vencedores apenas não se encontraram em 2010, quando o português esteve ausente e o argentino se bateu com os então companheiros de equipa Iniesta e Xavi.

Ronaldo até marcou mais cinco golos do que Messi e conquistou a sua quarta Bota de Ouro, mas ficou a zero em termos coletivos, enquanto o argentino somou cinco troféus e o brasileiro quatro, porque falhou a Supertaça Europeia.

Além da Bola de Ouro, o argentino também pode ser galardoado como o autor do golo do ano, o que apontou na final da Taça do Rei ao Athletic de Bilbau, sendo também candidato ao ‘onze’ FIFA/FIFPro, tal como os internacionais lusos Ronaldo e Pepe e o guarda-redes espanhol do FC Porto, Casillas.

A gala de Zurique, que vai ter início às 17:00 (hora de Lisboa), distingue também o melhor treinador do ano, galardão para o qual são candidatos os espanhóis Pep Guardiola (Bayern Munique) e Luís Enrique (FC Barcelona), que vão estar ausentes, e o argentino Jorge Sampaoli (Chile).

No setor feminino, a norte-americana Carli Lloyd, a japonesa Aya Muyama e a alemã Celia Sasic, que se retirou aos 27 anos, são as candidatas ao troféu de melhor do ano.

Quanto aos treinadores de um conjunto feminino, a escolha recairá num selecionador: são candidatos a norte-americana Jill Ellis (Estados Unidos), o galês Mark Sampson (Inglaterra) e o japonês Norio Sasaki (Japão).

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.