Merkel considera pacote de ajudas medida "sem precedentes"

Merkel considera pacote de ajudas medida "sem precedentes"

 

Lusa/AO Online   Internacional   10 de Mai de 2010, 08:30

 A chanceler alemã, Angela Merkel, considerou hoje "sem precedentes" na história da União Europeia e do euro o pacote de 750 mil milhões de euros aprovado em Bruxelas para proteger a moeda única.

A chanceler disse que o pacote é "necessário", acrescentando que têm também de se "atacar os problemas pela raiz", combatendo as causas da crise.

Neste contexto, a consolidação orçamental nos Estados membros do Euro "assume uma extraordinária importância", disse a chanceler.

Por isso, quem precisar de ter acesso às garantias criadas terá de apresentar programas de consolidação financeira que serão regularmente apreciados, lembrou.

Todos os países do Euro Grupo comprometeram-se ainda em acelerar a consolidação orçamental.

Merkel saudou expressamente a decisão de Portugal e Espanha de reforçarem as suas medidas de austeridade, considerando estas decisões uma "importante mensagem aos mercados".

Por seu turno, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Guido Westerwelle, garantiu também que vão ser combatidas as causas que levaram a esta crise.

"Os Estados nacionais têm de poupar mais, a Europa tem de estar disposta a fazer reformas e os mercados financeiros têm de ser regulados", disse o político liberal.

Westerwelle advertiu ainda que as ajudas a Estados em dificuldades "não serão grátis e estes terão de fazer os seus trabalhos de casa".

Merkel anunciou na ocasião que o executivo de centro-direita em Berlim aprovará na terça feira, em reunião extraordinária, a lei relativa ao pacote de ajudas europeias.

O projeto de lei será depois submetido às duas câmaras legislativas, mas sem carácter de urgência, ao contrário do que aconteceu na semana passada com a lei referente aos créditos à Grécia.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.