Estudo

Meninas preocupam-se mais em poupar que rapazes


 

Lusa/AO online   Economia   10 de Nov de 2011, 17:49

Um estudo nacional feito a crianças entre os 8 e os 12 anos revelou que metade tem conta bancária e a maioria entende que está na altura de começar a poupar, com as meninas mais empenhadas nesta tarefa.
Entre Fevereiro e Julho deste ano, uma equipa de investigadores coordenada por uma técnica do Instituto Superior de Ciências Sociais e Politicas (ISCSP) inquiriu 245 meninos de duas escolas do 1º ciclo do ensino básico com contextos socioeconómicos “muito diferentes”: a escola pública na Penha de França e os Salesianos do Estoril.

Os resultados preliminares mostram que existem situações em que não há diferenças entre os alunos das duas escolas e outros casos em que o seu meio socioeconómico faz diferença.

“Aproximadamente metade das crianças diz ter conta no banco”, revela o sumário dos resultados preliminares do estudo "consumo e poupança das crianças", para o qual foram entrevistados também os pais dos alunos que confirmaram a informação prestada pelos filhos no que toca a contas bancárias.

São mais de 70% as crianças que dizem ter, pelo menos, mealheiro. Mas é nos Salesianos que a posse de mealheiro, conta no banco ou ambos é mais elevada. Curioso é o facto de a maioria das crianças achar que "deverá começar a poupar agora”, sendo que esta convicção é mais forte nos Salesianos (75%, por oposição a 57% na Penha de França).

Feita uma análise entre os sexos percebe-se que "as raparigas são as que se declaram mais empenhadas em começar a poupar agora”.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.