Membro da Academia Sueca que atribuiu o Nobel critica "arrogância" de Bob Dylan

Membro da Academia Sueca que atribuiu o Nobel critica "arrogância" de Bob Dylan

 

LUSA/AO online   Cultura e Social   21 de Out de 2016, 19:52

Um membro eminente da Academia Sueca criticou hoje o comportamento "arrogante" do músico e compositor norte-americano Bob Dylan, que se mantém em total silêncio desde que foi atribuído o prémio Nobel da Literatura, a 13 de outubro

Dylan, de 75 anos, não atendeu as repetidas chamadas telefónicas da Academia nem reagiu de qualquer forma à distinção quando a notícia, saudada ou atacada, invadiu as redes sociais.

"É mal-educado e arrogante, é o que é”, declarou o académico Pär Per Wästberg, cujas palavras foram divulgadas pela televisão pública SVT.

No dia em que foi anunciado o prémio, Dylan deu um concerto em Las Vegas, em que simplesmente cantou, sem dizer nada ao seu público, tendo terminado o espetáculo com a canção de Frank Sinatra “Why Try to Change Me Now?” (“Porquê Querer Mudar-me Agora?”), numa possível alusão à sua proverbial aversão à imprensa.

A sua conta do Twitter publicou os recados da Academia Sueca e as felicitações do Presidente, Barack Obama, e a referência “Laureado com o prémio Nobel da Literatura” surgiu quatro dias depois na sua página da internet, mas hoje já tinha sido retirada.

“É uma situação absolutamente inédita, mas ele pode manifestar-se até à festa”, comentou Per Wästberg, referindo-se à tradicional cerimónia de entrega dos prémios Nobel, que este ano decorrerá a 10 de dezembro, em Estocolmo.

No seu blog, Anders Bárány, membro da Real Academia Sueca de Ciências, que entrega os Nobel científicos, relatou que Albert Einstein também ignorou os académicos quando foi distinguido com o prémio de Física, em 1921.

Em 1964, o escritor e filósofo francês Jean-Paul Sartre pura e simplesmente recusou o prémio de Literatura.

Mas uma recusa não muda nada na história, porque o nome do laureado é gravado no mármore do palmarés Nobel, lembra a escritora e editora de Cultura do diário sueco Aftonbladet, Asa Linderborg, que pensa que Dylan não irá a Estocolmo.

“A hipótese da sua vinda a Estocolmo a 10 de dezembro é cada vez menos plausível, sobretudo depois das declarações de Pär Wästberg”, escreveu.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.