Troika

Meia hora não chega para compensar falta de corte na TSU


 

Lusa/AO online   Economia   21 de Dez de 2011, 18:06

O líder da missão do Fundo Monetário Internacional para Portugal, Poul Thomsen, afirmou que a meia hora adicional de trabalho diária não chega para compensar o recuo no corte da Taxa Social Única para os empregadores.
De acordo com o responsável, que falava numa teleconferência com jornalistas a partir de Washington a propósito da segunda revisão do programa português, esta medida não chega, e o próprio Governo terá reconhecido esse facto ao admitir que era preciso fazer mais no que às reformas estruturais diz respeito.

“Não penso que os 30 minutos sejam suficientes para compensar a falta da desvalorização fiscal e penso que o Governo reconheceu isto ao dizer que precisa de fazer mais nas reformas estruturais, penso que claramente é preciso fazer mais”, disse.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.