Medidas para o leite visam ultrapassar "turbulência" do setor

Medidas para o leite visam ultrapassar "turbulência" do setor

 

Lusa/AO Online   Regional   6 de Abr de 2016, 14:19

O presidente do Governo dos Açores disse hoje ter noção da "dimensão do desafio" que o setor leiteiro vive na região, salientando que as medidas em curso visam permitir aos agricultores que superem o momento de "turbulência".

“Temos consciência da dimensão deste desafio. Essas medidas são uma ajuda no sentido de permitir aos nossos agricultores ultrapassarem da melhor forma possível essa situação de turbulência”, afirmou Vasco Cordeiro.

O chefe do executivo açoriano falava aos jornalistas após uma reunião com agricultores e a direção da Associação Agrícola da Ilha das Flores, nas Lajes das Flores, no âmbito da visita estatutária que o Governo Regional está a realizar ao ponto mais ocidental do continente europeu.

“Do ponto de vista daquele que é o nosso compromisso e o nosso empenho neste processo, julgo que é bastante elucidativo o facto de o montante global das medidas que foram definidas pelo Governo [Regional] ser até superior ao montante global das medidas que foram definidas pela União Europeia para o nosso país”, declarou.

Os Açores disponibilizaram cinco milhões de euros de fundos regionais para o setor leiteiro, enquanto a verba da União Europeia para o país é de 4,8 milhões de euros.

Vasco Cordeiro referiu que as medidas, que se dividem em três grandes grupos, visam “o apoio ao rendimento”, sendo disso um exemplo as “alterações que foram promovidas ao nível prémio à vaca leiteira sem afetar qualquer outra ilha nas ilhas de São Miguel e Terceira”.

Uma segunda componente prende-se com a redução de custos, como é o caso da linha SAFIAGRI III (Sistema de Apoio Financeiro à Agricultura da Região Autónoma dos Açores), para a comparticipação dos encargos financeiros com as explorações, e a última é a reestruturação do setor.

Neste último caso, foi publicada em Jornal Oficial, na terça-feira, a portaria que regulamenta as compensações financeiras aos produtores de leite de vaca dos Açores que se comprometam a abandonar, definitiva e integralmente, a produção a partir de 31 de julho.

Segundo a portaria, podem beneficiar desta medida os produtores de leite dos Açores que exerçam a atividade a título individual ou coletivo há pelo menos 10 anos, que tenham mais de 55 anos e tenham registado entregas ou vendas diretas em 2015 iguais ou inferiores a 200.000 litros.

O Governo dos Açores estimou recentemente que este programa de reestruturação do setor venha a retirar da atividade 200 produtores.

Os Açores, com 2,5% do território nacional, produzem cerca de 30% do leite do país e 50% do queijo.

O presidente da Associação Agrícola da Ilha das Flores, Valter Câmara, defendeu que, face às “condições climáticas muito adversas”, esta deveria ter “uma diferenciação positiva em relação às outras ilhas”.

O responsável apontou os transportes como outro problema com que se debatem os agricultores.

Valter Câmara adiantou que no primeiro trimestre deste ano, comparativamente ao período homólogo, a produção de leite aumentou cerca de 30%, o que considerou positivo, pois “quanto mais produção” houver na ilha “mais viável seria a fábrica”, a Cooperativa Ocidental.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.