"Mayor" de Toronto nomeia vereadora luso-canadiana responsável pela Habitação

"Mayor" de Toronto nomeia vereadora luso-canadiana responsável pela Habitação

 

LUSA/AOnline   Internacional   24 de Jan de 2015, 10:26

A luso-canadiana Ana Bailão foi nomeada pelo presidente da Câmara de Toronto, John Tory, a vereadora responsável pela Habitação Municipal da cidade canadiana.

"Para lidarmos com a questão de habitação, que inclui habitação social mas também questões de arrendamento de habitação para planeamento, temos de abordar várias comissões, e então, tendo uma pessoa que vai estar em todas as comissões e todos os assuntos, pode avançar para essa causa", afirmou Ana Bailão em declarações à agência Lusa, referindo-se aquela nomeação.

Ana Bailão foi reeleita vereadora do Bairro 18 a 27 de outubro de 2014, com 8.781 votos. Naquela área (Davenport), segundo os censos de 2011, existem 44.970 mil habitantes, sendo que 20,3 por cento falam português, e já foi o grande centro da comunidade portuguesa de Toronto.

A luso-canadiana, membro da comissão executiva do presidente da câmara, é a responsável de definir e aplicar a estratégia multifacetada de Toronto para melhorar a acessibilidade à habitação e na expansão daqueles serviços.

A comunidade de habitação social de Toronto é a maior do Canadá e a segunda maior na América do Norte, com mais de 170 mil residentes, existindo 240 senhorios sociais, com uma bolsa de mais de seis mil milhões de dólares (quatro mil milhões de euros) em apartamentos, mais de duas mil torres na cidade, o que equivale a sete por cento da população de Toronto a viver em habitações sociais.

"A comunidade portuguesa está inserida (nas habitações sociais). São pessoas que vivem de modestos salários, muitos idosos que vivem das suas pensões e que necessitam de alguma assistência nas suas rendas”, explicou a vereadora.

“Temos várias organizações que estão ligadas à habitação e que trabalham com a comunidade portuguesa. O Toronto Community House tem alguns prédios no seio da comunidade portuguesa e vários residentes são portugueses", acrescentou.

Um dos objetivos da autarquia para este mandato passa por aumentar o número dos prédios de arrendamento da cidade, pois em Toronto a taxa de desocupação "não é saudável, está abaixo do que deveria ser", salientou Ana Bailão, reconhecendo que "é necessário que os empreiteiros desenvolvam e invistam mais em casas de arrendamento".

A vereadora anunciou também que na área da Bloor Street vai abrir brevemente um gabinete seu, onde vai poder receber os residentes do Bairro 18 com "mais privacidade" e onde vão também decorrer as reuniões comunitárias.

Aquele serviço será disponibilizado com atendimento em português, "embora atualmente não seja a área com mais portugueses residentes", continua no entanto a ser “o maior grupo étnico".

O escritório da lusodescendente, no edifício principal da Câmara Municipal de Toronto, que é contactado diariamente por cerca de 100 pessoas, também terá na Bloor serviços disponibilizados em italiano, espanhol, francês e farsi.

Ana Bailão nasceu em Alenquer e com apenas 15 anos emigrou para o Canadá, para a área da Davenport. Envolveu-se em diversas associações, fundou a Luso-Can Tuna e foi diretora da ACAPO (Aliança dos Clubes e Associações Portuguesas do Ontário).

Foi assessora do vereador Mário Silva na câmara de Toronto, onde trabalhou durante cinco anos, e presidente da Federação de Empresários Luso-Canadianos, após ter passado também pelo setor privado (banca, cuidados de saúde e marketing em relações comunitárias).

Oficialmente, há 375 mil portugueses ou luso-canadianos no Canadá, mas calcula-se que existam cerca de 500 mil a 600 mil, estando a grande maioria localizada na província do Ontário. Estima-se que 60 a 70% sejam de origem açoriana.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.