Marcelo vai condecorar emigrantes e personalidades ligadas à comunidade lusa

Marcelo vai condecorar emigrantes e personalidades ligadas à comunidade lusa

 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Jun de 2016, 17:21

O Presidente da República vai condecorar em Paris, nas comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, nove personalidades: cinco emigrantes portugueses, uma luso-descendente e três franceses que têm desempenhado um papel junto da comunidade lusa.

As condecorações, que vão ser atribuídas por Marcelo Rebelo de Sousa durante a sua deslocação à capital francesa, entre 10 e 12 de junho, incluem quatro portugueses residentes em Paris que auxiliaram vítimas do ataque ao Bataclan.

Quase sete meses depois de terem prestado auxílio a vítimas dos atentados de 13 de novembro em Paris, Margarida de Santos Sousa, Manuela Gonçalves, José Gonçalves e Natália Teixeira Syed vão ser condecorados com o grau de Dama/Cavaleiro da Ordem da Liberdade.

Na noite do 13 de novembro, os quatro portugueses abriram os portões dos seus pátios para abrigar os sobreviventes e ajudaram a prestar os primeiros socorros a dezenas de pessoas.

O fotógrafo que mais retratou os bairros de lata portugueses em França nos anos 60 e 70, nascido no Haiti aos 89 anos (mas com nacionalidade francesa) Gérald Bloncourt, vai receber a ordem de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.

Gérald Bloncourt retratou os "bidonville" portugueses, mas também fez imagens da viagem clandestina - "a salto" - para França, assim como imagens de Portugal sob a ditadura e no pós 25 de abril.

Joaquim Silva Sousa, Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Paris, vai ser agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Mérito, por se tratar “de uma personalidade consensual que reúne o respeito e admiração da comunidade portuguesa em Paris, devido às atividades que desenvolve no seio da Santa Casa”, nomeadamente no apoio aos novos emigrantes mas também aos que já se encontram em França há longa data, indica o comunicado da presidência enviado à Lusa.

O grau de comendador da ordem de Mérito também vai ser atribuído ao empresário Valdemar Francisco, de 62 anos, que está a ajudar a construir um monumento de homenagem a um antigo autarca francês pela ajuda prestada aos imigrantes portugueses no bairro de lata de Champigny.

Valdemar Francisco, que construiu um importante grupo de empresas de imobiliário e construção em França, vai ser condecorado precisamente em Champigny, a cidade que abrigou o maior “bidonville” português em França nos anos 60 e 70, e onde ele viveu nove anos em criança.

Louis Talamoni, antigo autarca de Champigny, vai ser condecorado a título póstumo com o grau de comendador da Ordem da Liberdade, por “durante largos anos, a partir de 1956 e até 1972, data da extinção do bidonville” ter procurado “com grande determinação e uma inegável coragem, minorar o sofrimento de todos os que viviam no bairro de lata”, justifica o comunicado da presidência.

O documento relembra que o francês “não desistiu de levar avante uma ambiciosa operação de melhoria das condições de higiene e de salubridade no bidonville de Champigny”, apesar de ter conduzido “o município quase à falência, apesar da oposição da maioria da população e apesar da falta de apoio que lhe foi dado pelos poderes públicos nacionais”.

Também o atual Presidente da Câmara de Champigny, o francês Dominique Adenot, vai receber o grau de Comendador da Ordem do Mérito, por “ter demonstrado um especial interesse e empenho junto da comunidade portuguesa e lusodescendente do município que dirige”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.