Marcelo acredita que crise no leite e nos suínos é temporária e destaca crescimento da agricultura

Marcelo acredita que crise no leite e nos suínos é temporária e destaca crescimento da agricultura

 

LUSA/AO Online   Economia   4 de Jun de 2016, 15:05

O Presidente da República disse hoje, em Santarém, que o diploma que promulgou durante a noite, abrindo linhas de crédito para suinicultores e produtores de leite, "vai responder a uma situação transitória, temporária" de um setor que está a crescer.

Marcelo Rebelo de Sousa visitou hoje demoradamente a 53.ª Feira Nacional da Agricultura/63.ª Feira do Ribatejo, parando para falar com produtores e para provar as muitas “tentações” presentes no certame. “Tudo é bom e é impossível não provar um pouco de tudo”, disse aos jornalistas, no final da visita que marcou a abertura do certame, que decorre no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), em Santarém, até ao próximo dia 12. Lembrando que visitou a feira em 2015, ainda antes de anunciar a sua candidatura à Presidência da República, Marcelo notou o “salto impressionante” do certame, “sinal do crescimento da agricultura portuguesa”. Sobre o diploma para apoio aos produtores de leite e aos suinicultores, o Presidente afirmou que ele vai responder a uma situação que disse esperar ser “transitória, temporária” de dois setores da agricultura que vivem momentos de dificuldade. “Mas em geral a agricultura está a crescer. Ouvimos isso em todos os ‘stands’, da fruta, dos vinhos, do azeite. A crescer cá dentro, mas sobretudo em exportação, e isso é uma boa notícia”, declarou. O diploma que entra agora em vigor cria duas linhas de crédito garantidas, dirigidas aos produtores de leite de vaca cru e aos produtores de suínos, aprovadas pelo Governo a 12 de maio, no valor de 20 milhões de euros. A primeira linha de crédito, designada Linha Tesouraria, tem como objetivo apoiar encargos de tesouraria dos produtores, e a segunda, denominada Linha Reestruturação, visa apoiar a reestruturação de dívidas com instituições de crédito ou com fornecedores, relacionadas com a atividade desenvolvida pelos produtores. Logo à chegada à feira, Marcelo tinha à sua espera um pequeno grupo de famílias de suinicultores, envergando 't-shirts' brancas pedindo "Coma o que é nosso" e em defesa da "carne portuguesa". O certame conta com a presença de um milhar de expositores de toda a fileira agrícola, tendo este ano como destaque a fruta portuguesa.

 


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.