Marca Açores atribuída ao produto 1.000

Marca Açores atribuída ao produto 1.000

 

Lusa/AO Online   Regional   31 de Mai de 2016, 11:42

A Marca Açores, criada para associar "os atributos mais distintivos" do arquipélago à produção regional, chegou hoje ao produto 1.000, um dos queijos produzidos na ilha de São Jorge.

 

Na entrega do diploma Marca Açores ao milésimo produto, queijo com 12 meses de cura, na Uniqueijo - União de Cooperativas Agrícolas de Laticínios de São Jorge, nas Velas, o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, salientou o “movimento crescente” de adesão à iniciativa, significando que as empresas reconhecem que “esta medida é um fator acrescido de competitividade para a sua atividade”.

“A Marca Açores pretende associar e salientar aquilo que de melhor nós temos e que constitui uma inegável mais-valia”, declarou Vasco Cordeiro, adiantando que o facto de este selo ter sido alargado a um conjunto de produtos e serviços noutros domínios que não apenas o agroalimentar “acaba por ter a vantagem de fazer com que mutuamente esses setores beneficiem do esforço que é feito na promoção”.

Na iniciativa, integrada na visita estatutária que o Governo dos Açores está a realizar à ilha de São Jorge, o chefe do executivo regional acrescentou que este trabalho continua a exigir esforço por parte das entidades aderentes, para que a marca “se mantenha como um referencial de qualidade”.

O presidente da Uniqueijo, António Aguiar, explicou que a cooperativa, que no passado enfrentou dificuldades económicas, “em pouco mais de um ano” conseguiu “ultrapassar muitos dos constrangimentos”, apontando a redução de custos financeiros ou a recuperação dos atrasos no pagamento do leite.

António Aguiar destacou, ainda, que “a descida generalizada do preço de litro de leite pago à produção nos Açores, no continente e por toda a Europa foi acompanhada por um aumento do preço de litro de leite pago em São Jorge”, atingindo um preço médio ao litro em quase 28 cêntimos o ano passado.

À Lusa, o responsável acrescentou que a produção de queijo de São Jorge, “internacionalmente reconhecido”, aumentou para três milhões de quilogramas o ano passado.

“Produzimos o ano passado em São Jorge 30 milhões de litros de leite, o que representou três milhões de quilogramas de queijo”, afirmou António Aguiar, salientando “um aumento de 10,1% na produção de queijo na ilha de São Jorge face a 2014”.

Por outro lado, afirmou que a taxa de certificação do queijo de São Jorge que é submetido à câmara de provadores aumentou para 90% no primeiro trimestre deste ano, quando se situava em 50%.

A 30 de janeiro de 2015 o Governo dos Açores lançou a Marca Açores, baseada na natureza, para poder ser utilizada por entidades públicas e privadas para certificação e promoção dos seus produtos.

Com o slogan "Açores: certificado pela natureza", a marca destinava-se, inicialmente, a produtos tradicionais, incluindo o turismo, que se diferenciem "por serem originários de uma região com uma pegada ecológica de elevado valor ambiental".

Um ano depois, em janeiro último, o Governo Regional anunciou o alargamento da Marca Açores a serviços e estabelecimentos.

Já este mês, o Conselho do Governo aprovou uma proposta de decreto legislativo regional que cria o sistema de adesão ao selo da Marca Açores e o seu regime contraordenacional.

Os Açores, com 2,5% do território nacional, produzem cerca de 30% do leite do país e 50% do queijo.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.