Malaui: Polícia quer deter padres, parlamentares e universitários homossexuais


 

lusa   Internacional   28 de Fev de 2010, 11:57

 A polícia do Malaui informou sábado que vai deter inúmeros parlamentares, padres e universitários homossexuais depois dos deputados conservadores deste país da África Austral os terem acusado de terem “relações carnais contra natura”.

A polícia encontrou documentos “pornográficos” de natureza homossexual num escritório de uma associação de defesa dos direitos humanos que é apoiado por várias personalidades conhecidas no país, explicou o porta-voz da polícia, Davie Chingwalu.

“Vamos imediatamente abrir um inquérito para encontrar esses homossexuais. Os nossos suspeitos incluem parlamentares, padres e universitários”, acrescentou.

No caso de serem reunidas provas suficientes, os acusados serão acusados de “relações carnais contra natura” e “práticas indecentes entre homens”.

O código penal do Malawi proíbe a homossexualidade e a sodomia, prevendo uma pena de prisão de 14 anos.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.