Mais uma noite de tensão entre polícia e manifestantes em Ferguson

Mais uma noite de tensão entre polícia e manifestantes em Ferguson

 

Lusa/AO online   Internacional   11 de Ago de 2015, 11:49

A cidade de Ferguson, no estado norte-americano do Missouri, viveu outra noite tensa, com 23 detenções e confrontos entre manifestantes e a polícia, mas sem incidentes com gravidade, divulgou a polícia norte-americana.

 

No domingo, as manifestações pacíficas para lembrar o primeiro ano da morte do jovem negro Michael Brown, que foi morto por um polícia branco, terminaram manchadas pela violência.

"Durante o protesto (desta noite) não houve tiroteios, disparos, roubos, saques ou danos à propriedade", informou a polícia do condado de Saint Louis, onde está localizada a cidade de Ferguson, num comunicado emitido depois do fim da manifestação por volta das 03:30 horas locais (09:30 em Lisboa).

A tensão durou cerca de cinco horas na avenida West Florissant, epicentro dos protestos pela morte de Brown e cenário esta noite, mais uma vez, de uma espécie de jogo de gato e rato entre alguns manifestantes e a polícia.

Os polícias, com equipamento antimotim e veículos blindados, começaram a avançar e efetuar as primeiras detenções quando um grupo de cerca de cinquenta pessoas se concentrou no meio da avenida, algo proibido desde o protesto que deixou de ser pacífico, por volta das 11:00 horas locais (04:00 em Lisboa).

Desde então e até o início da madrugada, manteve-se a tensão entre os dois lados, tendo os agentes detido mais de 20 pessoas e os manifestantes lançando garrafas de água congelada e outros objetos.

Na madrugada de domingo vários tiroteios na zona de protesto acabaram com um ferido grave e dois leves.

A polícia do condado está a cargo da segurança da cidade e utiliza para tal os agentes locais, que são muitas vezes acusados de discriminação e violência contra a população negra.

Ferguson amanheceu hoje ainda em estado de emergência, declarado na segunda-feira pelo perigo "potencial de danos a pessoas e propriedades", depois da violência que ocorreu na noite de domingo.

Estes incidentes mancharam o dia de marchas pacíficas para lembrar o primeiro aniversário da morte de Brown, um episódio que levou a um dos piores distúrbios raciais em décadas e abriu um novo capítulo na luta pelos direitos civis nos Estados Unidos.

A morte de Brown faz hoje um ano e está no centro do debate da violência e discriminação policial contra os negros nos Estados Unidos e levou ao nascimento de um novo movimento social intitulado "Black lives matter (as vidas dos negros interessam)".

Centenas de pessoas têm saído às ruas da cidade, desde sábado, denunciando que, passado um ano, nada mudou para a população negra de Ferguson.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.