Mais de dez mil pessoas subiram à montanha do Pico em 2015

Mais de dez mil pessoas subiram à montanha do Pico em 2015

 

Lusa/AO online   Regional   22 de Mar de 2016, 17:48

As escaladas à montanha do Pico ultrapassaram pela primeira vez, em 2015, as dez mil pessoas, foi anunciado, no dia em que foram publicadas novas regras para o acesso ao ponto mais alto de Portugal.

 

"Há uma alteração ao regulamento, que já existe há alguns anos a esta parte, resultante da experiência que foi adquirida com a implementação do normativo até agora vigente, permitindo-se outros tipos de atividades para além da escalada, desde que devidamente autorizadas e enquadradas na área protegida do parque natural", declarou à agência Lusa o diretor regional do Ambiente, Hernâni Jorge.

De acordo com o responsável, as mudanças hoje publicadas em Jornal Oficial apontam para uma generalização do mecanismo de vigilância e rastreio dos visitantes, pretendendo-se, desta forma, "criar melhores condições para o crescente número de pessoas" que escalam a montanha e que atingiram os 10.415 em 2015.

Este valor foi de 8.802 em 2014, 9.972 em 2013 e 6.951 em 2012.

O diretor regional revelou, por outro lado, que as visitas à Casa da Montanha passaram de 12.540 pessoas em 2014 para 14.300 em 2015.

A Casa da Montanha, inaugurada em 2008, está dotada de informações sobre a geologia, biologia, história, clima e enquadramento legal da reserva natural da montanha do Pico, ilha do grupo central do arquipélago dos Açores, através de painéis informativos e em formato de filme, que pode ser visualizado no auditório.

Hernâni Jorge acrescentou que o novo regulamento introduz regras mais rigorosas na gestão dos acessos e escalada ao denominado pico pequeno da montanha, reduzindo-se a presença simultânea de 40 para 30 pessoas e havendo ainda um "maior controlo" através do novo sistema de rastreio e vigilância.

De acordo Hernâni Jorge, as taxas no acesso à montanha do Pico são mantidas entre os 2,50 euros e os 10 euros, sendo, no entanto, criados escalões intermédios, designadamente um desconto para as subidas autónomas por parte dos portadores do cartão "Amigos do Parque", a par de uma "diferenciação positiva" dos operadores licenciados que sejam parceiros do mesmo.

O diretor regional referiu que o novo regulamento contempla a criação de uma plataforma 'online' que vai estar disponível a partir do próximo mês de abril para que seja possível aos operadores licenciados programar com antecedência as subidas.

Vai também ser definido um percurso de pequena dimensão para quem pretender usufruir de uma experiência na montanha e que esteja impossibilitado, por várias razões, de fazer a escalada.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.