Mais de 60% dos diagnósticos de VIH realizados tardiadamente


 

Lusa/AO online   Nacional   20 de Nov de 2014, 11:44

O Núcleo de Estudos da Infeção ao VIH alertou que mais de 60% dos diagnósticos de VIH são realizados tardiamente, o que compromete a eficácia dos tratamentos, o bem-estar dos doentes e a "própria incidência da infeção".

O alerta do Núcleo de Estudos da Infeção ao VIH (NEVIH) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna surge no âmbito do Dia Mundial da Sida, que se assinala a 01 de dezembro, e visa incentivar a aplicação de medidas de prevenção e diagnóstico precoce.

Portugal é o terceiro país da União Europeia com maior taxa de casos de sida, quer em termos de prevalência, quer em termos de incidência, segundo dados divulgados pelo núcleo em comunicado.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.