Mais de 45.000 pessoas deslocadas pela batalha para recuperar Mossul

Mais de 45.000 pessoas deslocadas pela batalha para recuperar Mossul

 

Lusa / AO online   Internacional   5 de Mar de 2017, 10:35

Mais de 45.000 pessoas fugiram das suas casas, desde a ofensiva das forças iraquianas para reconquistar a parte oeste de Mossul aos jihadistas do grupo Estado Islâmico, revelou hoje a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

 

Um grande número destes deslocados foi registado a partir de 19 de fevereiro nos campos de acolhimento instalados nas imediações da segunda cidade do Iraque, segundo a OIM.

As forças iraquianas lançaram a operação para recuperar Mossul a 17 de outubro, estando desde então a entrar na cidade por zonas, o que tem provocado o êxodo da população.

Hoje, atacaram quatro bairros sob alçada do grupo extremista na zona oeste de Mossul, no âmbito da ofensiva para recuperar o último grande bastião jihadista no Iraque, segundo uma fonte militar.

Nestes quatro bairros situam-se as instalações dos escritórios do conselho da província de Ninive, da qual Mossul é capital, e de outras repartições públicas.

"As forças da polícia federal e células de intervenção rápida atacaram os bairros de Al-Dindan e Al-Dawassa", anunciou em comunicado o comando conjunto de operações.

As forças antiterrorismo, na primeira linha na batalha contra o EI, lançaram, por sua vez, ataques para recuperar os bairros de Al-Somoud e Tall al-Roumman, segundo o mesmo documento.

As autoridades iraquianas desenvolvem desde 19 de fevereiro uma grande ofensiva para reconquistar a zona oeste de Mossul, após a retomada do controlo a 24 de janeiro dos bairros orientais da cidade.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.