Maioria dos hospitais com excelência clínica mas com pouco conforto

Maioria dos hospitais com excelência clínica mas com pouco conforto

 

Lusa/AO online   Nacional   5 de Jan de 2018, 09:33

A maioria dos 159 hospitais avaliados pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS) em 2017 obteve classificação de excelência clínica, cumprindo todos os critérios de qualidade exigidos, mas na área do conforto das instalações as unidades estão a piorar.

O Sistema Nacional de Avaliação em Saúde da Entidade Reguladora (SINAS), cuja segunda avaliação de 2017 foi hoje divulgada, é um sistema que afere a qualidade global dos estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde, neste caso das unidades hospitalares.

Na dimensão de excelência clínica, dos 159 estabelecimentos abrangidos 127 tiveram classificação. Destes, 112 (70%) conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação.

Das unidades avaliadas, 87 são públicas, 47 privadas e 26 pertencem ao setor social.

Nesta dimensão de excelência Clínica foram avaliadas as unidades com internamento em várias áreas, incluindo Angiologia e Cirurgia Vascular, Cardiologia (Enfarte Agudo do Miocárdio), Cirurgia de Ambulatório, Cirurgia Cardíaca, Cirurgia do Cólon, Cuidados Intensivos, Cuidados Transversais, Ginecologia, Neurologia (AVC), Obstetrícia (partos e cuidados pré-natais), ortopedia e pediatria.

Segundo a avaliação da ERS, foi verificada uma melhoria dos valores de referência de alguns dos indicadores da pediatra, da neurologia relativa ao acidente vascular cerebral, da cardiologia referente ao enfarte agudo do miocárdio, também da área da obstetrícia, cirurgia de ambulatório, cuidados intensivos e avaliação da dor aguda.

Relativamente à dimensão da qualidade Segurança do Doente – Procedimentos de Segurança, a ERS destaca que dos 159 prestadores, 106 conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação.

No que se refere à dimensão Adequação e Conforto das Instalações, a percentagem de unidades que cumpriram todos os parâmetros de qualidade exigidos no primeiro nível de avaliação voltou a descer em 2017, o que já tinha acontecido em 2016, depois de ter atingido o máximo em 2015.

Das 159 unidades, 111 conseguiram obter o primeiro nível de avaliação em 2017, o que dá 70% do total, a percentagem mais baixa desde 2013.

Na dimensão da Satisfação do Utente, que apenas averigua se há uma cultura de avaliar a satisfação dos utilizadores, foram 86% os prestadores que afirmaram realizar inquéritos de satisfação.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.