Maior fábrica de laticínios da ilha do Pico com remodelação de 1,6ME

Maior fábrica de laticínios da ilha do Pico com remodelação de 1,6ME

 

LUSA/AO online   Regional   19 de Mai de 2016, 14:50

A maior fábrica de laticínios da ilha do Pico, nos Açores, da cooperativa Leite Montanha, vai ser alvo de um investimento de 1,6 milhões de euros para a sua modernização e remodelação, foi hoje anunciado.

Este projeto vai permitir mudar radicalmente o tipo de produtos e criar linhas de queijo diferentes”, afirmou o presidente da cooperativa Leite Montanha, Jorge Pereira, em São Roque do Pico, na assinatura do termo de aceitação do projeto de incentivos para reestruturação da fábrica.

Adiantando que o objetivo do investimento é fazer uma “aposta clara nos produtos típicos” da ilha, Jorge Pereira afirmou-se convicto de que com a execução deste projeto a cooperativa fica com “as condições necessárias e suficientes para garantir” a sua estabilidade financeira, assim como a dos produtores, além da estabilização do setor leiteiro da ilha.

A Leite Montanha recebe atualmente leite de 42 produtores que, no ano passado, entregaram cerca de seis milhões de litros.

Esta cooperativa assumiu em 2015 a exploração da unidade fabril, então da LactoPico, cuja assembleia de credores, em outubro de 2014, aprovou por unanimidade um plano de recuperação financeira, na sequência de dívidas na ordem dos 4,5 milhões.

Antes, a 20 de junho, o presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, anunciou um acordo que permitiu que a LactAçores (União das Cooperativas de Laticínios dos Açores UCRL) assumisse a gestão industrial e comercial da LactoPico, em conjunto com a direção.

Hoje, Jorge Pereira reconheceu que “tem sido uma tarefa árdua manter a cooperativa de pé” e considerou que, se tal sucede agora, se deve, além da direção, ao executivo açoriano, à LactAçores e, sobretudo, aos produtores, que “têm feito um esforço enorme para continuarem a produzir” numa ilha onde, devido ao “relevo acentuado”, as condições naturais “não são as mais favoráveis”.

“Felizmente, conseguimos fazer um acordo com a LactAçores que permitiu melhorar a gestão da nossa cooperativa. Hoje temos os produtores a receber atempadamente, temos colaboradores a receber atempadamente, temos melhorias significativas no produto que entregamos no mercado”, acrescentou.

Na cerimónia, no âmbito da visita estatutária que o Governo Regional está a fazer à ilha do Pico, o presidente do executivo açoriano salientou o “longo caminho” percorrido até hoje, em que “a ameaça de desaparecer a LactoPico ou a indústria de transformação de leite na ilha do Pico, pelo menos com a dimensão que tem atualmente, foi uma nuvem que pairou durante algum tempo”.

Vasco Cordeiro considerou que “continua a ser imprescindível um compromisso entre todas as partes envolvidas neste processo” para que o barco chegue a bom porto.

Da parte do executivo, mostrou “a contínua disponibilidade para apoiar”, mas rejeitou substituir-se às responsabilidades da cooperativa e dos produtores. 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.