Madeira

Sete pessoas continuam internadas após queda de árvore

 Sete pessoas continuam internadas após queda de árvore

 

Lusa/AO Online   Nacional   16 de Ago de 2017, 10:16

Nove das 16 pessoas internadas no hospital do Funchal na sequência da queda de uma árvore tiveram alta e sete permanecem internadas, uma das quais nos cuidados intensivos, disse hoje fonte hospitalar.

Segundo Miguel Reis, adjunto da direção clínica do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira, as pessoas que permanecem internadas apresentam fraturas múltiplas.

Entre os sete internados, cinco são adultos, um dos quais de nacionalidade francesa, e dois são crianças, acrescentou.

"As crianças encontram-se no serviço de observação da pediatria, uma francesa com dois anos de idade que sofreu um traumatismo craniano e da face e uma criança com 14 anos com traumatismo abdominal fechado", acrescentou.

Relativamente aos adultos, Miguel Reis adiantou que há "um doente de nacionalidade francesa com 51 anos que foi intervencionado pela especialidade de neurocirurgia e que se encontra internado no serviço de Medicina Intensiva, dois doentes intervencionados pela especialidade de Ortopedia e dois doentes do sexo feminino que estão internados no Serviço de Observação da Urgência, ambas com traumatismo torácico".

Relativamente aos 13 mortos, Miguel Reis disse que, oito são do sexo feminino e cinco do masculino, com idades compreendidas entre os 28 e 59 anos e uma criança de um ano.

Quanto a nacionalidades, há duas mulheres estrangeiras: uma francesa (de 42 anos) e uma húngara (de 31 anos).

"Contamos com a chegada ainda hoje de quatro elementos do Instituto de Medicina Legal para abreviar a questão das autópsias para que possamos entregar os corpos às famílias o mais rápido possível e contamos ter isso feito até sexta-feira desta semana", disse.

A queda de uma árvore, um carvalho, sobranceiro aos jardins do Largo da Fonte, na freguesia do Monte, atingiu dezenas de pessoas que se concentravam naquele lugar para as festividades da Festa do Monte, em honra da padroeira da ilha, momentos antes da procissão, no âmbito do calendário religioso do Dia da Assunção de Nossa Senhora.

A festa foi depois cancelada pelos organizadores.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, também se deslocou à Madeira para manifestar o seu apoio.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.