Madeira defende recurso a Programa de Saúde da UE para fazer face a doenças epidémicas

Madeira defende recurso a Programa de Saúde da UE para fazer face a doenças epidémicas

 

Lusa/AO Online   Nacional   22 de Jun de 2015, 12:25

O secretário da Saúde da Madeira, Manuel Brito, defendeu, no Funchal, o recurso a verbas do terceiro Programa de Saúde 2014-2020 para fazer face a doenças crónicas, oncológicas e epidémicas.

 

O governante considerou que a globalização e a permanente circulação de pessoas estão a "criar novos perigos", como acontece com o ébola e a síndrome respiratória do Médio Oriente, pelo que é exigida uma "atitude muito consertada de todos os países".

"Ainda por cima, somos uma zona de turismo, pelo que temos de ter maior atenção a estas questões", realçou Manuel Brito, na apresentação pública do 3.º Programa de Saúde 2014-2020, que disponibiliza 450 milhões de euros para investir em projetos transnacionais ao nível da União Europeia até 2020.

"Podem ser apresentados projetos através de universidades, empresas, organizações não-governamentais, instituições de saúde nacional e regional", explicou Filipa Pereira, da Direção Geral da Saúde, entidade responsável pela gestão do programa em Portugal.

O programa abrange diversas áreas, como recursos humanos, saúde pública, desenvolvimento de boas práticas e realização de estudos. No entanto, os projetos implicam a construção de parcerias europeias, na medida em que devem apontar para uma resposta comum.

"Só são aprovados projetos que a Comissão Europeia considere de impacto europeu", disse Filipa Pereira, sublinhando que os 450 milhões de euros destinam-se ao conjunto dos países da União Europeia e implicam sempre projetos transnacionais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.