Socorro

"Má" coordenação e estratégia no combate aos fogos

"Má" coordenação e estratégia no combate aos fogos

 

Lusa/AO online   Nacional   11 de Ago de 2012, 18:56

O presidente da Liga de Bombeiros Portugueses (LBP) disse hoje que possui um relatório que confirma ter havido "má coordenação e má estratégia" no combate aos incêndios que afetaram os concelhos de Tavira e São Brás de Alportel.

Em declarações aos jornalistas à margem do funeral do bombeiro de Figueiró dos Vinhos que faleceu na quinta-feira durante o combate a um incêndio florestal naquele concelho, Jaime Soares frisou que o relatório foi encomendado pela LBP a uma pessoa "credível, competente e capaz", que não identificou. "Não vou revelar o conteúdo, terei de o fazer primeiro aos meus pares no Conselho Executivo [da LBP]. Mas uma coisa já posso dizer sem qualquer dúvida, este nosso relatório contempla tudo aquilo que eu, há dias, disse publicamente de má coordenação, má estratégia e que este relatório vem confirmar", frisou. Adiantou que o relatório também faz "propostas" para se conseguir "erradicar o mais possível" a situação de incêndios florestais "que se vive em Portugal ano após ano" e que o Presidente da Liga diz estar diretamente ligada ao "abandono" da floresta portuguesa. "Não podemos deixar que isto se transforme numa catástrofe", frisou. De acordo com Jaime Soares a floresta portuguesa "está abandonada, não tem planeamento" e está "selvaticamente" tratada, causando problemas aos bombeiros no combate a incêndios florestais, "sempre sujeitos às mais altas situações de perigosidade". Para o presidente da LBP ninguém deve ter "medo" de assumir que os fogos florestais em Portugal "são de 75 a 85 por cento" de origem criminosa. "Não venham cá com os problemas de descuido e negligência, sabemos que há negligência, mas a negligência também é crime", afirmou.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.